Há um ano, Khabib Nurmagomedov vencia Justin Gaethje e se aposentava do MMA; relembre a carreira do ex-campeão

Em homenagem ao ex-campeão dos leves, o SUPER LUTAS fez uma retrospectiva sobre a passagem do russo pelo UFC; confira

K. Nurmagomedov se aposentou do MMA em outubro de 2020. Foto: Reprodução/Instagram

Há um ano, o maior lutador da história do peso leve (até 70,3kg) pendurava as suas luvas de forma precoce. No dia 24 de outubro de 2020, aos 32 anos e ainda invicto, Khabib Nurmagomedov anunciava a sua aposentadoria após vencer Justin Gaethje no UFC 254, que ocorreu em Abu Dhabi (EAU). Em homenagem ao ‘Águia’, o SUPER LUTAS faz uma pequena retrospectiva da carreira do ex-campeão.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Forjado no wrestling do Daguestão (divisão federal da Rússia que está situada no sudoeste do país), Khabib chegava ao UFC sem muito alarde em 2012 após passagens por eventos locais como ‘PROFC’ e ‘M-1’. O lutador russo desembarcava no maior evento do mundo com incríveis 16-0 em seu cartel. Logo em sua estreia, derrotou Kamal Shalorus por finalização no terceiro round em janeiro do mesmo ano.

Ainda em 2012, mais precisamente em julho, o russo enfrentou o duro brasileiro Gleison Tibau e venceu na decisão unânime dos juízes. O combate até hoje gera discussões, pois muitos jornalistas e fãs de MMA viram vitória do lutador brasileiro. Khabib até hoje diz que esse foi o combate mais difícil que ele enfrentou em toda sua passagem pelo UFC.

PUBLICIDADE:

KHABIB PROVOCADOR

K.Nurmagomedov provocou a comunidade do jiu-jítsu na pesagem do UFC São Paulo Foto: Facebook/UFC

Em sua terceira luta pela organização, Khabib mostrou um lado que pouco seria visto durante a sua carreira: a de provocador. Na pesagem do UFC São Paulo, onde enfrentaria o faixa preta Thiago Tavares, o russo entrou com uma camisa provocativa escrita em inglês: ‘Se Sambô fosse fácil, se chamaria jiu-jítsu’. A camisa provocou um burburinho na comunidade da arte suave, que ficaram doidos para ver o ‘russo abusado’ ser calado pelo brasileiro.

PUBLICIDADE:

No dia seguinte, no octógono, o que se viu foi um passeio de Khabib. Não houve finalização, mas o lutador russo nocauteou Thiago com pouco mais de um minuto de luta e calou uma arena lotada de brasileiros. Depois disso, Nurmagomedov emendou mais duas vitórias tranquilas, sobre Abel Trujillo e Pat Healy, ambas por decisão.

PUBLICIDADE:

O primeiro grande desafio e a grave lesão

K. Nurmagomedov e R. dos Anjos se enfrentaram em abril de 2014 Foto: Divulgação/ UFC

Já entre os tops da categoria dos leves, Khabib foi escalado para enfrentar o brasileiro em ascensão Rafael dos Anjos, um faixa preta de jiu-jítsu que sob as mãos do treinador Rafael Cordeiro, havia se transformado em um striker de elite. O brasileiro vinha embalado por cinco vitórias consecutivas na divisão e já mirava o cinturão.

No octógono, foi um passeio do russo. Com um show de wrestling, Khabib não deu espaços para a trocação do brasileiro e dominou os 15 minutos de combate mostrando um intenso preparo físico e talento. O cinturão parecia bem próximo de pegar um avião com destino à Rússia, porém, uma grave lesão no joelho tirou o russo do octógono por cerca de dois anos.

Em seu retorno, Khabib enfrentou o desconhecido Darrell Horcher e mesmo sem ritmo de luta, venceu por nocaute no segundo. Na sequência, o russo venceu Michael Johnson e o brasileiro Edson Barboza, por finalização e na decisão dos juízes, respectivamente.

No UFC 223, finalmente veio a coroação do russo. O que sempre se soube que era questão de tempo, aconteceu no dia 07 de abril de 2018. Após uma confusão envolvendo Max Holloway e a Comissão Atlética de Nova York, o russo disputaria o cinturão linear dos leves pela primeira vez na carreira contra Al Iaquinta. O norte-americano não teve chances diante de Khabib e foi dominado por cinco rounds e derrotado na decisão unânime dos juízes.

A grande luta

C. McGregor (esq.) foi derrotado por K. Nurmagomedov (dir.) no UFC 229. Foto: Reprodução/Instagram

Como toda grande história, o ‘clímax’ da carreira de Khabib Nurmagomedov estava chegando. No UFC 229, em outubro de 2018, o russo iria medir forças contra aquele que em pouco tempo se tornou o maior nome da história do UFC. Ex-campeão dos leves e dos penas (até 65,7kg) Conor McGregor  retornava ao Ultimate após quase dois anos afastado por problemas ‘extra-octógono’. O irlandês, como sempre, passou dos limites nas provocações antes da luta e trouxe um ‘tempero’ a mais para o tão aguardado embate.

Durante a luta, vimos mais um passeio de Khabib. Dominante na luta de solo e sem dar espaços para a perigosa mão esquerda de McGregor, o russo se aproveitou do cansaço do seu oponente e venceu por finalização no quarto round. Com a adrenalina lá em cima e cansado das provocações do rival e sua equipe, Khabib partiu para cima dos membros do staff do irlandês imediatamente após o fim do combate. O que se viu na T-Mobile Arena, em Las Vegas (EUA), foram cenas de pancadaria generalizada como nunca vistos antes na história do Ultimate. O UFC 229 é, até hoje, o evento mais vendido da história da organização, com 2.400.00 (dois milhões e quatrocentos mil) pacotes vendidos.

Em 2019, o ‘Águia’ fez apenas uma luta. Contra Dustin Poirier no UFC 242, mais uma vitória protocolar do russo por finalização, dessa vez no terceiro round. Khabib tinha, além do talento, o dom de fazer os caras mais duros da sua divisão se transformarem em sparrings para ‘treinos de luxo’.

O SILÊNCIO DA ÁGUIA

K. Nurmagomedov (dir.) ao lado do pai. Foto: Reprodução / Instagram

No dia 03 de julho de 2020, Khabib sofreria o mais duro golpe de seus 32 anos de vida. Seu pai e mentor, Abdulmanap Nurmagomedov faleceu em Moscou (RUS) devido a complicações da Covid-19.  O principal incentivador da carreira do campeão seria um desfalque insubstituível em sua vida e na preparação para mais uma disputa de cinturão.

No dia 24 de outubro, Khabib subia ao octógono na Ilha da Luta em Abu Dhabi (EAU) para enfrentar o campeão interino Justin Gaethje. A vitória por finalização no segundo round ficou em segundo plano após o combate. Logo após o duelo, ainda no octógono, Nurmagomedov anunciava a sua aposentadoria das artes marciais mistas. O líder dos leves afirmava que precisava ficar mais tempo com sua família e que havia prometido a mãe que estaria mais tempo ao lado dela.

Khabib se aposentou invicto com 29 vitórias consecutivas e com o seu nome entre os maiores da história do esporte. O russo conquistou 13 triunfos consecutivos no Ultimate entre 2012 e 2020 e derrotou nomes como Conor McGregor, Dustin Poirier, Rafael dos Anjos entre outros.

 

Podcast #39: Prévia de Aldo, Charles e Amanda + 14 anos de SUPER LUTAS