Prestes a retornar ao octógono, Chimaev dispara sobre Usman e Covington: ‘não têm nada de especial’

Dono de três vitórias avassaladoras em dois meses, o sueco volta ao octógono neste sábado (30) para enfrentar Li Jingliang

K. Chimaev durante pesagem do UFC 267 (Foto: Instagram/UFC)

Após um começo fulminante no UFC, com três vitórias em dois meses e um prêmio de “Lutador Revelação do Ano” em 2020, Khamzat Chimaev ficou mais de um ano afastado do octógono por conta de complicações relacionadas à Covid-19. Neste sábado (30), o sueco volta à ação contra Li Jingliang, no UFC 267.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Com vitórias distribuídas entre os meio-médios (até 77 kg) e os médios (até 83,9 kg), Chimaev optou por se dedicar à divisão até 77 kg. Com o objetivo de se tornar campeão, o sueco estará de olho no UFC 268, que acontece na semana seguinte a sua luta e promove a revanche entre o campeão Kamaru Usman e o desafiante Colby Covington, pelo título da categoria. De acordo com o lutador de 27 anos, no entanto, nenhum dos dois lutadores possuem nada de especial.

“Talvez vá para uma decisão, talvez alguém consiga um nocaute. Os dois são duros, mas não têm nada de especial. Mesma coisa, dois wrestlers com um pouco de trocação”, opinou Chimaev em entrevista ao UFC Arabia.

PUBLICIDADE:

Por fim, o sueco falou sobre o que espera para o seu futuro e revelou o desejo de conquistar múltiplos cinturões no UFC.

“Eu vou ser o melhor lutador nesse jogo. Quando eu terminar, quero ser lembrado como o melhor lutador do mundo, número um peso por peso e quero os cinturões. Quantos forem possíveis, talvez dois, talvez três”, finalizou o sueco.

PUBLICIDADE:

Podcast #40: José Aldo ainda pode ser campeão no UFC?