Mais uma? Medalhista Olímpica de Tóquio deixa em aberto chance de fazer transição ao MMA

Tamyra Mensah-Stock, que esteve nas finais da PFL, foi questionada sobre uma possível migração às artes marciais mistas e afirmou que ainda precisa ajustar seu jogo

T. Mensah-Stock conquistou a medalha de ouro nos Jogos de Tóquio 2020. Foto: Reprodução/Instagram

O mundo do MMA pode ganhar uma grande estrela do mundo do Wrestling. Medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio 2020, Tamyra Mensah-Stock, que esteve presente nas finais da PFL da última quarta-feira (27), revelou que pensa em uma possível transição, mas admite que ainda precisa ajustar seu jogo para que se sinta pronta em uma nova modalidade.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Estou animado para ver meus companheiros olímpicos irem lá e darem tudo de si. Eu, no entanto, agora estou apenas curtindo meu tempo aqui, não sei o que o futuro reserva, mas estou olhando para ele e investigando. Veremos aonde Deus me levará”, disse Mensah-Stock, em entrevista ao ‘MMA Junkie’.

Apesar de afirmar que adora acompanhar a modalidade, a atleta norte-americana revela que ainda precisa aprender a boxear e estudar o que precisa para que consiga atuar em alto nível nas artes marciais mistas.

PUBLICIDADE:

“Eu adoro assistir boxe, mas tenho que aprender a dar um soco. Não sei como dar um soco. Da última vez que alguém me ensinou, joguei as duas mãos porque não sabia o que fazer, então, honestamente, não sei o que será necessário. Tudo tem que parecer quase excelente para tentar me tirar do Wrestling, porque wrestling eu venho fazendo isso há 12 anos”, concluiu a medalhista.

Aos 29 anos, Mensah-Stock tem um grande histórico no Wrestling olímpico. A norte-americana, inclusive, poderia ter competido na categoria dos 68kg. nos jogos do Rio 2016, mas não conseguiu uma vaga para competir e preferiu por ajustar a afiar o jogo de outras atletas em divisões distintas de peso. Em agosto deste ano, ela se tornou a primeira lutadora afro-americana a vencer Ouro Olímpico na modalidade, quando superou a nigeriana Blessing Oborududu na grande decisão.

PUBLICIDADE:

Podcast #39: Prévia de Aldo, Charles e Amanda + 14 anos de SUPER LUTAS