Campeão aos 42 anos, Glover descarta aposentadoria, mas desabafa sobre dificuldades para manter forma

Novo rei dos meio-pesados do Ultimate, brasileiro abre o jogo sobre o processo complicado para seguir atuando em alto nível

G. Teixeira (foto) em pesagem pelo UFC. Foto: Reprodução/Instagram

Campeão dos meio-pesados aos 42 anos, Glover Teixeira ainda não pensa em pendurar as luvas. Depois de fazer história e conquistar o cinturão do grupo até 93kg. contra Jan Blachowicz no UFC 267, o brasileiro falou abertamente sobre aposentadoria. Em desabafo sincero, o mineiro apontou as dificuldades do dia a dia para se manter em forma e seguir atuando em alto nível.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Eu vou tomar essa decisão (de se aposentar) na academia algum dia, quando eu perceber que não quero mais fazer isso. Sei que é muito difícil. Minha esposa sabe o quanto trabalhamos forte. Tentando dormir, ficar na cama por 14 horas apenas para descansar meu corpo. As pessoas podem pensar que é bom ficar na cama por 14 horas. Não é bom. Não gosto de ficar na cama. O corpo dói. Você precisa se forçar a dormir e a descansar”, disse o combatente, em coletiva depois do espetáculo deste fim de semana.

O desabafo do brasileiro seguiu. Segundo o mineiro, a combinação de estratégias para se manter no topo como um dos melhores atletas do mundo pode ser extremamente desgastante.

PUBLICIDADE:

“Na minha idade, é muito difícil. Todos os suplementos, dieta. É demais, mas eu adoro o resultado. Gosto de como tenho lutado, treinado. Então, vou seguir fazendo isso até que eu não sinta mais a paixão. Aí, vai ser o momento que vou parar”, encerrou.

Neste fim de semana, Teixeira fez história e foi incluído no seleto grupo de campeões do Ultimate. Para isso, o mineiro precisou passar pelo perigoso Jan Blachowicz, finalizando o polonês no segundo round.

PUBLICIDADE:

Podcast #39: Prévia de Aldo, Charles e Amanda + 14 anos de SUPER LUTAS