No ‘swing paraense’, Rafael Alves promete show de dança antes de luta e espera batalha de trocação no sábado

Peso leve, que busca primeira no Ultimate, fala com exclusividade ao SUPER LUTAS sobre confronto contra Marc Diakiese no UFC Las Vegas 42

R. Alves em vitória pelo ‘Contender Series’. Foto: Reprodução/Instagram

Representante dos leves (até 70,3kg.), Rafael Alves não esconde a empolgação para segunda luta com as luvas do Ultimate. Na busca pela primeira vitória na empresa, o atleta encara Marc Diakiese e é destaque brasileiro no UFC Las Vegas 42, que acontece neste sábado (13). Antes do compromisso, o ‘dançarino’ falou com exclusividade ao SUPER LUTAS sobre a expectativa para o confronto.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Revelado pelo ‘Dana White’s Contender Series’, Alves pode dar o primeiro passo rumo ao topo de uma das categorias mais perigosas da organização. Para isso, o atleta precisa de um grande resultado neste fim de semana.

Realização de um sonho

Em maio de 2021, Rafael fez sua primeira luta como profissional do UFC. Mesmo sem vencer, o lutador não esconde a alegria por estar inserido na maior organização de MMA do mundo.

PUBLICIDADE:

“Estou muito feliz de poder estar no maior palco do mundo, que é o UFC. Essa é minha diversão. Sempre falo que não entro (nas lutas) para brincar, mas entro para me divertir. Meu show é entrar dançando (no octógono). Eu adoro dançar. É muita alegria para mim”, afirmou.

Erros na estreia pelo Ultimate

Em sua luta de estreia, Rafael chegou próximo de conquistar uma vitória contundente no primeiro round diante do perigoso Damir Ismagulov. O brasileiro, no entanto, acabou permitindo que o adversário se recuperasse no decorrer do embate e perdeu na decisão unânime dos juízes. O lutador, então, expôs os erros na disputa.

PUBLICIDADE:

“O que faltou naquela luta foi paciência. Se eu tivesse um pouco mais de paciência, eu ganharia a luta fácil. Não enfrentei qualquer adversário. Era um cara duro, experiente, mas isso mostrou que estou pronto para lutar contra qualquer um. Dei um knockdown no primeiro round, fácil. (…) Aprendi muito com essa derrota”, disse.

PUBLICIDADE:

Preparação para o UFC Vegas 42

Quase seis meses depois de seu debute, Alves está certo de que teve grande preparação para enfrentar Marc Diakiese neste fim de semana. O atleta contou um pouco sobre o período de treinos.

“Meus técnicos falaram que eu tinha que treinar essa paciência. Eu era um cara muito explosivo, mas tinha que esperar para acabar a luta. Estou sempre bem preparado. Mais uma vez, um oponente duro. O UFC não está me dando moleza, só pedreira (risos). Mas isso é bom para quando eu chegar no top 15. Vou estar pronto para qualquer um. Hoje, já me sinto pronto”, afirmou.

Análise do adversário

Pronto para o show, Rafael analisou o desafio contra Diakiese . Ciente de que não terá vida fácil no espetáculo de sábado, o brasileiro apontou os pontos fortes e fracos do adversário.

“Da mesma forma que ele é perigoso para mim, eu sou para ele. Vai ser ‘lá e cá’. Eu também sou da trocação. Amo trocação. Ele é um cara que tem falhas, assim como eu. Mas eu sinto que tenho mais armas para ele do que ele para mim, no sentido do jiu-jitsu brasileiro. Ele não tem jiu-jitsu. Defende bem as quedas, mas, quando está de costas no chão, não tem muito para oferecer e eu tenho muito para oferecer. Qualquer mão que entrar, vai cair. Essa luta eu não vejo indo até o final. Por ele, deve ir, porque ele gosta de enrolar. Eu gosto de encerrar. Quanto mais rápido eu sair lá de dentro (do octógono), melhor para mim (risos)”, garantiu.

Promessa de dois shows

No que depender de Alves, seu show no UFC Las Vegas 42 não acontecerá apenas dentro da área de batalha. Apaixonado por dançar, o atleta prometeu empolgar os fãs em sua caminhada para o octógono.

“Pode ter certeza, primeiro de tudo, todo mundo vai ter o show da dança (risos). Essa luta vai ser uma das melhores da noite. São dois strikers. Eu não penso em colocar essa luta para baixo, só se eu me sentir incomodado. Eu não se se ele (Diakiese) vai dar conta de responder na luta em pé. Pode ter certeza que o Brasil e Belém do Para, minha ‘terrinha’, vão ficar muito orgulhosos dessa apresentação”, cravou.

Desfecho dos sonhos

Com a intenção de brilhar no segundo card do mês de novembro pelo Ultimate, Rafael também falou sobre como gostaria de vencer o adversário. A ideia, como não podia ser diferente, é na via rápida.

“A gente tenta terminar o mais rápido e da melhor maneira possível, até para não se machucar e não machucar meu oponente. Não tenho isso comigo, de quebrar uma perna do adversário. Isso não existe. Estou ali para lutar e peço que a luta seja uma das melhores da noite. É nosso trabalho. Estamos levando alegria para os fãs. Quero nocautear e levar um bônus”, disse.

Recado aos fãs

Por fim, Alves aproveitou o espaço para mandar um recado aos fãs brasileiros, que estarão de olho no espetáculo deste fim de semana.

“Queria dizer para meu povo do Brasil, Belém do Pará, minha terrinha, que, neste sábado agora vou dar o meu melhor no maior evento do mundo. Podem ter certeza: com vitória ou derrota, vocês vão assistir a um grande show. E, claro, no começo, vai ter a dancinha (risos)”, encerrou.

Histórico dos atletas

Aos 31 anos, Rafael Alves se encaminha para sua 30ª luta como profissional no MMA. Hoje, o combatente soma 19 vitórias e 10 derrotas na modalidade.

Com 28, Marc Diakiese fará o 19º compromisso no esporte. O atleta tem 14 triunfos e quatro reveses.

Podcast #39: Prévia de Aldo, Charles e Amanda + 14 anos de SUPER LUTAS