Presidente do Bellator elogia atuação de Cyborg, mas desconversa sobre possível duelo contra Harrison

Scott Coker é cauteloso ao falar sobre uma possível luta entre as atletas, mas confirma reunião com empresário da norte-americana

S. Coker é o presidente do Bellator. Foto: Reprodução/Instagram

No Bellator 271 da última sexta-feira (12), Cris Cyborg defendeu seu título das penas (até 65,7kg.) ao nocautear Sinead Kavanegh. E, assim que a brasileira conseguiu a manutenção do cinturão, os olhos do público presente estavam voltados à possibilidade de uma próxima promoção contra a invicta Kayla Harrison.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Em entrevista pós-evento, no entanto, o presidente da organização Scott Coker tratou de frear a empolgação por uma eventual assinatura de Harrison com sua empresa. Ele, no entanto, confessa que vai se reunir com os empresários da lutadora e, caso haja acordo, pode começar a pensar na superluta dos sonhos.

“Cyborg parecia mais rápida do que nunca em algumas combinações nesta noite e isso é, realmente, incrível. Ela parecia ótima e eu gosto disso. (…) Kayla Harrison não é atleta do Bellator. Eu ainda não sei se ela é um ‘agente livre’ e vamos começar a falar com o empresário dela no início da próxima semana para vermos se há a possibilidade e, só depois, começar a pensar na divulgação para essa luta”, afirmou Coker.

PUBLICIDADE:

Ainda assim, Scott está cauteloso com o ‘casamento’ e prefere olhar um cenário realista no momento. O presidente do Bellator disse que Cat Zingano pode ser a próxima adversária de Cyborg, que pode voltar a lutar em fevereiro ou março de 2022.

“Para a Cris Cyborg, agora, temos algumas lutadoras em mente. Cat Zingano, sem dúvidas, está na luta por isso. Estamos pensando em uma luta para ela (Cyborg) já em fevereiro ou março do ano que vem e temos algumas possibilidades sobre o assunto”, finalizou.

PUBLICIDADE:

Bicampeã olímpica de judô, Kayla Harrison está invicta no MMA em 13 lutas e, sem contrato com a PFL, é cogitada no Bellator e UFC. Já Cris Cyborg, agora, conseguiu manter, pela terceira vez, o título das penas (até 65,7kg.) e, quando questionada, evitou dar respostas enfáticas sobre o assunto.

PUBLICIDADE:

Podcast #39: Prévia de Aldo, Charles e Amanda + 14 anos de SUPER LUTAS