Sakai destaca aprendizado com derrotas e faz previsão otimista para o UFC 269: ‘Não chega no terceiro round’

Adversário de Tai Tuivasa neste sábado, peso pesado fala com exclusividade ao SUPER LUTAS sobre momento delicado e analisa adversário

A. Sakai é o único brasileiro no top 15 dos pesados do UFC. Foto: Reprodução/Instagram

Único brasileiro no ranking dos pesados (até 120,2kg.) do Ultimate, Augusto Sakai está confiante em retomar o caminho das vitórias. Com dois tropeços em seu retrospecto recente, o atleta encara Tai Tuivasa neste sábado (11), pelo UFC 269. Antes do confronto, o lutador falou com exclusividade ao SUPER LUTAS e a expectativa é de show.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Destaque brasileiro no grupo liderado por Francis Ngannou (campeão linear) e Ciryl Gane (campeão interino), Sakai vem de derrotas para Alistair Overeem e Jairzinho Rozenstruik. O combatente, no entanto, entende a possibilidade de redenção neste fim de semana.

Derrotas que vêm para o bem

Perder nunca é bom, ainda mais quando se trata de atletas de alto nível. Augusto, por sua vez, abre o jogo sobre o que tirou de positivo nos dois últimos tropeços com as luvas do Ultimate.

PUBLICIDADE:

“A gente ganha bagagem. Foram duas lutas importantes para a minha carreira. O resultado não veio, faz parte do jogo. Estamos prontos para voltar aos caminhos da vitórias. A gente perde algumas noites de sono, temos que repensar algumas coisas, saber nosso valor. Não é a derrota que vai definir quem a gente é. Estamos no topo da divisão”, contou.

Estrela brasileira no peso pesado

Inserido na categoria que já consagrou nomes como Júnior Cigano, Fabrício Werdum e Rodrigo Minotauro, Sakai sabe o peso da responsabilidade de representar o Brasil. Hoje, o lutador é o único combatente presente no ranking (11º) que representa o verde amarelo. O paranaense, então, falou sobre como encara a posição de destaque.

PUBLICIDADE:

“Eu sei o meu valor. Fico muito feliz de ser um brasileiro dentro do ranking dos pesados e representar nossa nação. Se você olhar o ranking e enxergar as bandeiras, vão ver meu nome e a bandeira do Brasil. Eu não deixo subir à cabeça. É uma honra para mim, mas tem que trabalhar todo dia igual. A gente treina duro, se prepara muito bem, independente do ranking. Sei que tem muito trabalho para fazer”, disse.

PUBLICIDADE:

Compromisso com Tuivasa

Neste fim de semana, Sakai dará um passo atrás e dividirá o octógono com um lutador que sonha integrar o top 15 da categoria. O brasileiro falou sobre a confirmação do embate contra Tuivasa.

“Não é um cara que eu estava de olho, mas acompanho faz tempo. Tenho o costume de acompanhar a maioria dos pesados, porque eu sei que, como é uma categoria que tem um pouco menos de gente, a gente pode se encontrar em qualquer momento. Já assisti às lutas dele. Quando marcaram a luta, fiquei feliz. É um cara engraçado, tem um estilo que casa muito com o meu”, afirmou.

Estratégia para o embate

Escalado no card preliminar de um dos maiores eventos do UFC na temporada 2021, Augusto sabe que não terá vida fácil no fim de semana. O brasileiro, assim, passou parte da estratégia para não ser surpreendido no espetáculo.

“A estratégia é fazer ele errar. Ele tem algumas brechas, erros. Estudamos bem, trabalhamos muito em cima dessas coisas. Sou um atleta de MMA. Eu gosto do Muay Thai, da trocação, mas, se tiver que colocar para baixo e trabalhar o jiu-jitsu, estou pronto. Vou tentar aproveitar as brechas”, garantiu.

Nada de decisão dos juízes

Com dois nocauteadores natos em rota de colisão, Sakai é categórico ao cravar que o confronto não irá para a decisão dos juízes. Para o combatente, o embate termina com o oponente ‘apagado’.

“Não chega no terceiro round. Vou dar meu melhor no sábado para sair com a vitória o quanto antes”, cravou.

Desfecho ideal

Precisando da vitória no UFC 269, Augusto, apesar de acreditar no nocaute, entende que o importante é voltar à rota das vitórias. O atleta, assim, tratou de afirmar como pretende deixar o octógono.

“A única coisa que eu sei, que é certeza, um fato, é que vou terminar com o braço erguido. Um cenário perfeito seria um nocaute fulminante. Um direto, uma joelhada. Vamos ver”, encerrou.

Histórico dos atletas

Aos 30 anos, Augusto se encaminha para sua 20ª luta como profissional no MMA. No esporte desde 2011, o brasileiro soma 15 vitórias, três derrotas e um empate.

Em grande momento no Ultimate, Tuivasa chega com moral para o 16º embate na modalidade. O australiano, hoje, tem 12 triunfos e três reveses.

Podcast #46: Aquecimento para o UFC 270 com duas disputas de cinturão + Amanda Nunes fora da ATT e Jake Paul rico