VÍDEO: Lutadores palpitam sobre trilogia entre Brandon Moreno e Deiveson Figueiredo, neste sábado

Michel Pereira, Rodolfo Vieira, Wellington Turman, Manel Kape e André Sergipano analisam o combate no evento, que ocorre em em Anaheim, Califórnia (EUA)

A segunda luta mais importante do UFC 270 deste sábado (22) é marcada pela trilogia entre Brandon Moreno e Deiveson Figueiredo, válida pelo cinturão dos moscas (até 56,7kg.) do Ultimate. E, com exclusividade ao canal do SUPER LUTAS no ‘YouTube’, cinco grandes lutadores da organização palpitaram sobre o desfecho do combate.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Michel Pereira

“O Deiveson é um cara que admiro e gosto muito. Conheço a trajetória dele e ele buscou coisas novas – treinando com o (Henry) Cejudo – e isso eu acho ‘massa’. Se não está dando certo, você tem que procurar melhorar. E eu vejo que é uma coisa que os lutadores não fazem. Isso que o Deiveson fez é admirável. Largar a família, academia e tudo para ir atrás de uma melhora. Agora, estou bem positivo com o Deiveson e quero ver como ele estará na luta. Creio que muito melhor”, palpitou o ‘Paraense Voador’.

Rodolfo Vieira

“Eu acredito muito que, com essa mudança de ter ido ao Arizona (Estados Unidos) treinar com Henry Cejudo, ele vá recuperar o cinturão para a gente. Acredito em um nocaute do Deiveson”, disse o ‘Caçador de Faixa Preta’.

PUBLICIDADE:

Wellington Turman

“Eu vou de Brandon Moreno. Acho que está vindo em uma fase boa, é sinistro e acho que esse corte de peso acaba estragando o Deiveson. Brandon Moreno tem tudo para conseguir mais uma finalização. Não vou com o Brasil, desta vez”, analisou o curitibano.

Manel Kape

“É uma luta que me intriga mais. É parelha, pois na primeira luta deles, eu pontuei para Deiveson – apesar de ter sido um empate –, na segunda foi uma brecha do Deiveson. E, nesta luta, acho que o Moreno vai explorar o chão novamente, porque o Deiveson não gosta de ficar de costas ao chão. Mas ainda vou com ele por nocaute”, destacou Kape, que é da mesma divisão dos atletas.

André Sergipano

“Eu via um problema no Deiveson que era o corte de peso, né? É um cara muito pesado e grande para a categoria. Ele perde muito peso para bater 57kg. A gente não sabe como ele está agora, se vem com pensamento de desidratar bastante, mas acredito que não. Na segunda luta, foi nítido que ele sentiu o condicionamento físico e o corte de peso deve ter prejudicado. O Deiveson está fazendo um camp nos Estados Unidos, buscou uma evolução. É uma luta bem difícil, mas eu sou brasileiro. Sou Deiveson Figueiredo e vamos para cima. A dor te ensina de duas maneiras, acho que ele sentiu a derrota e virá diferente para retomar o cinturão. Vai ser decidida por finalização ou nocaute, de preferência pro Deiveson”, finalizou.

PUBLICIDADE:

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276