VÍDEO: Atletas do Ultimate dão palpites para confronto entre Ngannou e Gane no UFC 270

Michel Pereira, Rodolfo Vieira, André Sergipano e Wellington Turman analisam luta principal do primeiro card numerado de 2022

A luta entre Francis Ngannou e Ciryl Gane que, de fato, vai colocar em disputa o título linear dos pesados (até 120,2kg.) no UFC 270 deste sábado (22) mexe com o emocional de diversos fãs de MMA, inclusive os lutadores. Cientes da importância do combate deste final de semana, alguns atletas do Ultimate, em entrevista exclusiva ao canal no ‘YouTube’ do SUPER LUTAS, deram seus palpites sobre o resultado do duelo.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Michel Pereira

“Eu sempre gostei muito do Ngannou. Eu acho aquele ‘bicho’ muito massa, humilde para caramba. Simples, fala com a gente. Sempre gostei muito do estilo dele, pois é um peso pesado que não é gordo. Você olha e o cara parece um poste. (…) é um cara que vai levar a luta porque tem um poder de nocaute muito grande”, palpitou Pereira.

Rodolfo Vieira

“O Francis é um cara poderoso para caramba. Nocauteador nato. E o Ciryl Gane é um cara que vem fazendo um trabalho incrível. Muito técnico e parece um meio-pesado movimentando. Eu acredito que, se ele conseguir manter a distância, tem grandes chances de escapar das ‘mãozadas’ do Francis ali. E é o que ele vai fazer para ganhar a luta. É um cara técnico e experiente na trocação. Acredito que se ele lutar tecnicamente, tem reais chances de tirar o cinturão do Francis”, analisou Rodolfo.

PUBLICIDADE:

André Sergipano

“Analisando as últimas performances e o ritmo de luta dos dois atletas, o desafiante (Gane) tem um estilo diferente para peso pesado. É um cara bem solto, baila com os movimentos. Só que agora a gente vai ver o Francis Ngannou diferente. A gente não sabe o que vai trazer para essa luta. Mas vou ‘manter’ o campeão, que é um cara mais experimentado e bem difícil de derrubar”, disse o médio.

Wellington Turman

“Eu vou no Ciryl Gane. É um palpite difícil de apostar, mas ele movimenta bem, já treinou e deve conhecer (Francis) Ngannou. Ele conseguiu movimentar bem com o Derrick Lewis e acho que vai conseguir fazer isso bem com o Ngannou. Tem um gás muito bom e tem tudo para vencer essa luta”, finalizou o curitibano.

PUBLICIDADE:

Podcast #63: Blachowicz merece enfrentar Glover pelo cinturão do UFC? Lyoto perde no Bellator e se complica