Rival de Velasquez no octógono, Cigano envia mensagem de apoio e pede libertação de ex-campeão do UFC

Estrela de trilogia histórica no Ultimate contra norte-americano, brasileiro integra corrente para que veterano do MMA deixe prisão

J. Cigano (dir.) e C. Velasquez (esq.) dividiram o octógono em três ocasiões. Foto: Reprodução/Instagram

A prisão de Cain Velasquez, detido sem direito a fiança e acusado de seis crimes, incluindo uma tentativa de homicídio contra um suposto abusador de um membro da família, segue comovendo a comunidade do MMA. Após receber inúmeras mensagens de apoio por parte de companheiros de profissão, o norte-americano teve a solidariedade de Júnior Cigano. Estrela de trilogia histórica contra o veterano no UFC, o brasileiro integrou a corrente a favor do ex-campeão dos pesados (até 120,2kg.).

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Como oponentes, nós compartilhamos o sonho de se tornar o número um. Hoje, como pais, a vitória que buscamos é o bem-estar e a segurança da nossa família. Ainda há muito o que ser revelado sobre a situação em que Cain Velasquez está envolvido. Mas, até lá, acredito que qualquer pai honesto teria feito o mesmo, se estivesse em seu lugar. Que a justiça seja feita e que Cain possa estar de volta ao lado de sua família o quanto antes. Liberdade a Cain”, escreveu Cigano, em sua conta no Instagram.

Considerado um dos melhores pesos pesados na história do MMA, Velasquez foi preso nos Estados Unidos no início desta semana. O atleta foi acusado de tentar balear um indivíduo em uma perseguição automobilística.

PUBLICIDADE:

Posteriormente, aumentou-se o rumor de que a suposta vítima seria uma acusado de molestar uma parente, menor, do ex-campeão do Ultimate. Após tentar fazer valer a justiça com as próprias mãos, o veterano foi detido pela polícia e, segue em custódia, sem direito a fiança.

Mais um a se juntar ao grupo de apoiadores a Cain, Cigano dividiu o octógono com o norte-americano em três ocasiões. No primeiro encontro, o brasileiro chocou o mundo ao nocautear o rival e conquistar o cinturão dos pesados do UFC. Na sequência, o catarinense acabou superado pelo adversário por duas vezes.

PUBLICIDADE:

Podcast #69: Alex Poatan brilha e Adesanya sai vaiado no UFC 276