AO VIVO

Acompanhe o UFC 276, com disputas de cinturão e Alex Poatan

Cejudo critica valores ‘astronômicos’ pagos a Masvidal e Adesanya e ‘pisa no freio’ para retornar ao UFC

Aposentado desde 2020, ex-campeão sugere desrespeito e questiona diferença de tratamento da empresa com outras estrelas

H. Cejudo anunciou a aposentadoria do MMA em maio de 2020. Foto: Reprodução/Instagram

Aposentado desde 2020, Henry Cejudo ‘pisou no freio’ em relação a um possível retorno ao Ultimate. O atleta, que há mais de um ano flerta com uma volta ao MMA não escondeu a mágoa com a organização sobre os valores oferecidos por sua presença na empresa. Crítico, o lutador chegou a questionar os salários de estrelas como Jorge Masvidal e Israel Adesanya, apontando um ‘prejuízo’ no custo-benefício.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“O dinheiro fala e os idiotas aceitam. Não vou aceitar. Não vou voltar a ser testado pela USADA (Agência Antidoping dos Estados Unidos) até que eles me paguem o que mereço. Eles vão pagar Israel Adesanya, que não sabe fazer sequer um moonwalk (tradicional passe de dança de Michael Jackson), não consegue conquistar um segundo cinturão e sequer defender uma queda para salvar sua vida. Também tem Jorge Masvidal. Eles vão dar dinheiro a ele e ele tem 17 derrotas na carreira. Eles (UFC) não podem dar ao ‘Triplo C’ um pouco de sua fortuna?”, questionou Henry, em entrevista ao ‘The Underground’.

Antigo duplo campeão do Ultimate, Cejudo não se apresenta desde a vitória sobre a lenda do peso galo (até 61,2kg.), Dominick Cruz. Na ocasião, o combatente superou o ex-campeão, defendeu seu título e, ainda no octógono, anunciou que estaria pendurando as luvas.

PUBLICIDADE:

A decisão de deixar o esporte, no entanto, não durou muito. Momentos depois de surpreender os fãs de MMA, em coletiva de imprensa, Henry admitiu que toparia uma volta, mas pelos valores certos.

A investida de Cejudo, no entanto, parece não ter funcionado com a diretoria do Ultimate. Desde seu último compromisso, o lutador passou a sugerir um confronto por um terceiro título na organização, algo inédito em mais de 20 anos de companhia.

PUBLICIDADE:

O plano do norte-americano seria um embate imediato contra Alexander Volkanovski, atual campeão dos penas (até 65,7kg.). Caso fosse autorizado a promover a peleja, Henry poderia fazer história e somar mais um título, que seria levado à sua prateleira junto ao dos moscas (até 56,7kg.) e galos.

PUBLICIDADE:

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276