Pioneiro; Conheça Washington Dourado, primeiro lutador brasileiro de MMA a assumir sua homossexualidade

Atleta de um esporte ainda com grandes barreiras, o amapaense contou um pouco da sua história e revelou o sonho de uma oportunidade de lutar em um grande evento

W. Dourado se tornou o primeiro lutador a assumir a homossexualidade Foto: Reprodução/TV Globo

No pequeno município de Laranjal do Jari, localizado no sul do Amapá, Washington Duarte Souza quebrou uma barreira que ainda não havia sido rompida na história do MMA. O atleta de 29 anos se tornou o primeiro lutador brasileiro, desse esporte, a assumir a sua homossexualidade. Em entrevista ao ‘Fantástico’ da TV Globo, o pioneiro combatente contou um pouco da sua história e revelou o sonho de conseguir uma oportunidade em um grande evento.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Conhecido em sua cidade natal como ‘Princesinha Dourada’, Washington conversou com a reportagem do ‘Fantástico’ sobre sua história de vida e revelou que, até o momento da reportagem, nunca havia assumido a sua orientação sexual para sua mãe.

“Nunca cheguei com ela pra conversar. Ela já ouviu me chamarem de ‘Princesinha’, ‘Douradinho’, mas nunca ouviu de mim mesmo. Sinto que é o momento para dizer para ela. Não sei como a minha mãe vai reagir, porque ainda não cheguei com ela para dizer que sou homossexual. Eu estava nervoso. Sempre vi amigos meus sendo rejeitados pelos familiares. Hoje é a primeira vez que estou dizendo isso a ela. Fiquei nervoso”, revelou Washington.

PUBLICIDADE:

Atleta profissional de MMA, esporte que ainda reluta em quebrar algumas barreiras, o amapaense contou sobre o preconceito e o desrespeito sofrido de alguns adversários em suas primeiras lutas.

“Primeira parte do preconceito que tive dentro do MMA foi um rapaz de uma cidade vizinha. Ele falou pro meu professor de jiu-jítsu que, se ele perdesse pra mim, ele iria embora da cidade. Eu ganhei a luta no primeiro round, nocauteei o menino e ele saiu da cidade”, contou a reportagem do Fantástico.

PUBLICIDADE:

O treinador de Washington, Ricardo Macaco, confirmou a história do seu aluno e contou sobre outro episódio que, o lutador amapaense foi prejudicado devido a sua opção sexual.

PUBLICIDADE:

“Fui levar ele para lutar em Macapá, simplesmente ele deu um show, ganhou os três rounds. No resultado dos juízes deram a luta para o oponente dele. E todos que estavam presentes no evento viram que ele ganhou a luta e creio que teve um certo preconceito pela parte de ele ser homossexual”, acusou o treinador.

Washington revelou o sonho de ser contratado por uma grande organização de MMA, afirmou que conhece outros atletas que são homossexuais, mas que não têm coragem de se revelar, por medo do preconceito da comunidade.

“Meu sonho é lutar em grandes eventos de MMA e ter uma oportunidade que até hoje não tive. Acredito em mim mesmo e tenho potencial para isso. O único (gay) assumido (no MMA) está sendo eu. Sei que tem mais pessoas, só que elas têm medo do preconceito, do que as pessoas vão falar. Elas têm medo da reação de muitas partes da academia. (Peço para eles) aparecerem e dizerem seus nomes, baterem no peito. Estou aqui, também vim fazer parte, vim somar e quero que eles tenham essa coragem. Mostrar para as pessoas que a gente pode ir além daquilo que tentam limitar a gente”, finalizou o ‘pioneiro’ do MMA brasileiro.

Lutador da divisão dos galos (até 61,2kg), Washington possui um cartel no Sherdog de cinco vitórias e apenas duas derrotas, porém, o lutador amapaense alega ter mais de 30 lutas profissionais na carreira. Seu último confronto foi agosto de 2019, quando venceu por finalização no segundo round, no evento ‘Macaco Fighter’

Podcast #67: Durinho fez o pix para Yanex após nocaute em lutador que falou mal do Brasil + UFC Austin: card do ano