Dana White lamenta morte de Feijão, mas diz: ‘Faz parte do esporte’

Dirigente comparou a quantidade de lutas realizadas no mundo com o número de mortes e faz alerta para atletas que aceitam lutas de última hora

D. White (foto) confirmou que a maioria dos eventos do UFC acontecerão às quartas-feiras. Foto: UFC/Divulgação

D. White (foto) comenta morte de L. Feijão. Foto: UFC/Divulgação

O lutador Leandro Feijão faleceu na última quinta-feira (26), vitima de AVC, logo após passar pelo processo de desidratação para a pesagem do Shooto Brasil 43. Em visita ao Brasil para divulgar o UFC 168, o presidente do Ultimate Dana White não escapou de ser questionado sobre o caso. Para ele, o MMA não sai com a imagem arranhada pelo fato.

De acordo com White, os atletas devem medir as consequências de aceitar uma luta tão em cima da hora. Para o dirigente, apesar do falecimento de Feijão ser um fato triste, isso ‘faz parte do esporte’.

“Ele aceitou a luta muito em cima da hora. Quando se faz isso precisa pensar se compensa ou não perder todo o peso. Quando você vê alguém morrendo tão jovem é muito triste, mas faz parte do esporte. Se você analisar quantas lutas acontecem no mundo e quantos morrem, acho que é preciso apenas pensar se deve ou não aceitar uma luta em cima da hora”, afirmou o dirigente.

Entenda o caso

Leandro Feijão foi convocado para lutar no Shooto Brasil 43, mas ele estava bem acima do limite da categoria de moscas (cerca de 70 kg.). Como o limite da divisão é de 58 kg, ele chegou a desmaiar na sauna, mas conseguiu subir na balança e bater o peso. Porém, logo depois ele perdeu os sentidos e foi levado ao hospital onde veio a falecer.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments