Treinador diz que Dana White reconheceu vitória de GSP contra Hendricks

Kristof Midoux ainda criticou duramente o presidente do UFC e exigiu um pedido de desculpas público

Kristof Midoux (ao fundo) acompanha GSP após a vitória sobre Hendricks. Foto: Donald Miralle/UFC

Kristof Midoux (ao fundo) acompanha GSP após a vitória sobre Hendricks. Foto: Donald Miralle/UFC

O presidente do UFC Dana White foi um dos maiores críticos ao resultado da luta principal do UFC 167, vencida por decisão divida pelo campeão dos meio-médios Georges St. Pierre. Após o combate, White afirmou que viu vitória clara do desafiante Johny Hendricks no combate e disparou contra a Comissão Atlética de Nevada, responsável pela regulamentação do evento, e até o próprio GSP. Porém, de acordo com o treinador de St. Pierre Kristof Midoux, o dirigente se arrependeu e pediu desculpas ao canadense no dia seguinte, reconhecendo sua vitória na disputa de cinturão.

“Georges estava muito perturbado após a luta, mas a diferença entre nós dois é que ele é um cara muito legal, mesmo quando precisa ser duro. O que foi dito e feito por Dana White não foi certo. Ele confunde alguns papeis. Dana White entra no octógono para dar o cinturão ao campeão. Georges entra lá para lutar, e sua vida depende disso. Georges é um leão, mas é respeitoso. Dana White é um falastrão que não respeita ninguém. Pouca gente sabe, mas na manhã seguinte à luta Dana White ligou para Georges e disse o seguinte: ‘Me desculpe. Assisti à luta novamente e você venceu. Tudo que eu falei foi sob emoção.’ Georges disse a ele que não se preocupasse, e que entendia. Georges não deve nada a ninguém, ele lutou sua vida toda. Se eu fosse ele, exigiria um pedido público de desculpas, e uma declaração à mídia de que ele realmente havia vencido a luta”, afirmou Midoux, em entrevista ao diário canadense “Journal de Quebec”.

Amigo e treinador de St. Pierre desde que o campeão tinha 16 anos, Midoux também revelou não concordar com uma hipotética volta prematura de GSP ao octógono. “Ele se esforçou demais durante a luta contra Johny Hendricks, estava um pouco confuso, e não sabia o que estava dizendo. É isso que as pessoas não entendem. Ele esperava poder se afastar por um tempo, mas ao mesmo tempo queria lutar. Ele é quem decide o que vai fazer da sua própria vida. Eu acho que ele vai abandonar o cinturão e farão uma disputa sem ele. Mas, como eu disse, a decisão é dele. Vou esperar ele voltar das férias para sentarmos e conversarmos. Ele sabe que precisa descansar, e deve abrir espaço para outras coisas além da luta no seu coração. Se ele decidir voltar a lutar, por qualquer razão, eu não estarei mais no seu córner. Não quero vê-lo sofrer mais depois de conquistar mais do que jamais sonhou. Uma vida o espera lá fora. Acho que ele tem muitas outras coisas a fazer ao invés de ficar tentando descobrir quem é o homem mais forte do mundo, algo que ele já provou ser”, finalizou.

No último dia 16 de novembro, em Las Vegas (EUA), o canadense Georges St. Pierre venceu o norte-americano Johny Hendricks por decisão dividida dos juízes e manteve o cinturão dos meio-médios na luta principal do UFC 167. Após o resultado – bastante questionado pela imprensa, fãs e até dirigentes do Ultimate -, o campeão falou que gostaria de se afastar das lutas, mas não deixou claro se voltaria a atuar ou encerraria sua carreira. Na ocasião, as palavras de St. Pierre desagradaram o presidente Dana White, que tratou uma revanche imediata entre GSP e Hendricks como prioridade.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments