Procuradoria de Nevada faz queixa formal e pede punição a Wanderlei Silva

Órgão solicitou à Comissão Atlética a cobrança dos valores gastos no caso do brasileiro e demais sanções por ter se recusado a passar por um exame surpresa em maio

Wand (foto) está na mira da Procuradoria de Nevada. Foto: YouTube/Reprodução

Wand (foto) está na mira da Procuradoria de Nevada. Foto: YouTube/Reprodução

A Procuradoria Geral de Nevada fez uma queixa formal contra o brasileiro Wanderlei Silva junto à comissão atlética estadual, pedindo que o lutador seja punido pela fuga de um exame antidoping em maio e subsequente reconhecimento do uso de substâncias ilegais durante sua preparação para o UFC 175. A solicitação visa o ressarcimento de valores gastos no caso de Wand, como despesas de investigação e honorários de advogados, além de demais punições que o órgão regulamentador julgue necessário.

As informações foram divulgadas pelo site “MMA Junkie”, que informou que Wanderlei tem 20 dias para responder e que o caso do brasileiro vai ser julgado em uma audiência ainda sem data oficial estipulada. “Um combatente desarmado deve se submeter a uma análise de urina ou teste químico se a comissão ou um representante da comissão o dirige a isso”, diz um trecho da queixa reproduzida pelo veículo norte-americano. A procuradoria ainda afirma que o atleta está sujeito às sanções por ter evitado o exame antidoping mesmo ainda sem ter efeito a solicitação de uma licença para lutar em Nevada porque ele promoveu o duelo contra Chael Sonnen e “sabia que era um competidor no UFC 175”.

A solicitação da Procuradoria Geral de Nevada tem como base o depoimento de Wanderlei Silva em reunião junto à Comissão Atlética de Nevada no dia 17 de junho, em que o brasileiro se explicou após fugir de um exame antidoping surpresa três semanas antes. Na ocasião, Wanderlei apresentou uma carta, que foi lida por seu advogado, em que admitiu que a fuga foi motivada pelo uso recente de diuréticos – substância proibida pela comissão. Segundo Wand, a razão pela qual ele fez uso dos medicamentos seria visando a redução da retenção de líquidos provocada por anti-inflamatórios, os quais o haviam sido receitados após a lesão no punho sofrida na briga com Chael Sonnen no TUF Brasil 3. Mesmo tendo sido retirado do card do UFC 175, o “Cachorro Louco” não recebeu nenhuma punição da Comissão Atlética, sob a alegação que o encontro seria apenas para coleta de informações.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments