Ronda Rousey considera Gina Carano a oponente com estilo mais difícil possível

Campeã da categoria galo feminina do UFC comenta possível duelo e rasga elogios à norte-americana: ‘Abriu portas para mim’

Especulação sobre luta entre G. Carano (esq.) e R. Rousey (dir.) tomou conta do mundo do MMA. Foto: Produção MMA Press (Strikeforce/UFC)

Especulação sobre luta entre G. Carano (esq.) e R. Rousey (dir.) tomou conta do mundo do MMA. Foto: Produção MMA Press (Strikeforce/UFC)

Ronda Rousey, campeã da categoria galo feminina do UFC, considera que Gina Carano seria a adversária com o estilo mais difícil para suas características caso o combate entre as duas de fato saia do papel.

Segundo a dona do cinturão, especialista em quedas de judô e no jogo de chão, Carano possui um grande poder de nocaute e boa noção de trocação, o que poderia ser o antídoto para seu jogo. “Eu quero vencer, claro, mas meu treinador disse desde o início que Gina tem o pior estilo para mim. Não estou falando isso só por falar. Eu não preciso me preocupar com lutadores que sejam fortes ou que me atinjam no chão. A única coisa que eu preciso me preocupar é com um nocaute com apenas um soco. E, de todas as mulheres no MMA, Gina é quem tem a melhor distância e tempo. Ela é a primeira garota que eu vi que tem poder para nocautear com um soco só”, opinou Rousey, em entrevista ao site da emissora norte-americana “ESPN”.

No entanto, mesmo que já tenha protagonizado rivalidades ferrenhas com suas oponentes, Rousey prega respeito à possível adversária. “Eu vejo Gina como uma pioneira, que abriu portas para mim. Ela tem qualidades que as pessoas querem ver, mesmo que as pessoas não soubessem disso. Até Gina aparecer, as pessoas não sabiam que queriam ver uma garota dura que sabe ser feminina. Não, eu não a vejo como uma competidora, de forma alguma. Eu a vejo como uma parceira em tudo isso”, elogiou.

Carano atuou como profissional de MMA entre 2006 e 2009, conquistando um cartel de sete vitórias e uma derrota, batendo, inclusive, as ex-lutadoras do UFC Julie Kedzie e Rosi Sexton. Em sua última luta, perdeu para a brasileira Cris Cyborg no combate que valia o título inaugural dos penas do Strikeforce. Nos últimos anos, ela se dedicou à carreira de atriz.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments