Lutadora transexual critica Cyborg: ‘Está fora do alcance de quem não toma esteroides’

Fallon Fox se mostra insatisfeita com o fato de receber várias críticas enquanto a brasileira pouco é questionada

Fallon Fox criticou Cyborg: Facebook / Reprodução

Fallon Fox criticou Cyborg: Facebook / Reprodução

A lutadora Fallon Fox frequentemente é alvo de acusações de que teria uma vantagem em relação às demais lutadoras de MMA por ter nascido homem. Contudo, para ela, a atleta que tem vantagem é outra: a brasileira Cris Cyborg, a quem acusa de permanecer em um nível acima das demais concorrentes por se utilizar de substâncias proibidas.

“Há uma grande diferença entre Cyborg e eu. Nós duas somos mulheres, com certeza, mas uma de nós não trapaceia. Meu retrospecto no MMA se mantém intacto – eu nunca fui suspensa e recebo licenças para lutar a todo momento. Eu me preocupo com minhas vitórias, ou seja, eu ficaria menos feliz se eu quisesse trapacear de forma intencional. Ela ficou fora do alcance de competitividade entre as mulheres, e ela fez isso de propósito. O engraçado é que eu me encaixo no alcance de competitividade, fui licenciada pelas comissões, e alguns falam besteira sobre mim e não falam muito sobre ela. Ela está fora do alcance das mulheres que não tomam esteroides”, disparou Fox, em depoimento escrito no site “The Underground”.

Fallon Fox, cujo nome de batismo é Boyd Burton, tem 38 anos de idade e um cartel profissional de cinco vitórias e uma derrota no MMA profissional. Ela fez a cirurgia de mudança de sexo em 2006, quando também começou um intenso tratamento de terapia hormonal.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments