Treinador de Mendes absolve Aldo por golpes ilegais: ‘Eu também não ouvi o gongo’

Contudo, Duane Ludwig acredita que o árbitro do combate deveria ter ficado em posição para apartar os lutadores

Polêmicos golpes foram aplicados por J. Aldo (esq.) em C. Mendes (dir.) no fim do R1. Foto: Josh Hedges/UFC

Polêmicos golpes foram aplicados por J. Aldo (esq.) em C. Mendes (dir.) no fim do R1. Foto: Josh Hedges/UFC

Um dos lances de maior polêmica do UFC Rio 5, realizado no último sábado (25), foi o knockdown que José Aldo aplicou em Chad Mendes poucos instantes após o gongo soar ao término do primeiro round. Apesar das várias críticas feitas ao lutador brasileiro pelos golpes ilegais, o próprio treinador principal de Mendes, Duane Ludwig, veio a público afirmar que também não havia percebido que o primeiro round havia acabado.

“O público estava gritando tão alto que eu mesmo não ouvi. Eu ouvi o sinal que indicava que faltavam dez segundos para acabar o round, então eu sabia que faltava pouco, mas eu não escutei o gongo soar”, esclareceu Ludwig, em entrevista ao site da emissora norte-americana “ESPN”.

LEIA: Árbitro reclama do barulho para justificar golpes de Aldo

Ludwig afirmou que somente descobriu o que havia acontecido após o término da luta. “Eu fiquei sabendo durante as entrevistas. Ouvi Dana [White, presidente do UFC] falando sobre isso. Eu disse ‘uau, houve dois socos depois do gongo’”, contou.

Apesar de reconhecer as nuances da situação, Ludwig afirmou que se há alguém a se culpar pelo incidente é o árbitro do combate, Marc Goddard. “Ele deveria ter ficado esperto, sabendo que havia apenas dez segundos restantes. Não houve muita ação até o sinal dos dez segundos, então todos nós pudemos ouvir. Uma vez que Aldo ouviu, acho que ele começou a partir para cima com tudo”, concluiu Ludwig.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments