ESPECIAL: Marcado por lesões, 2014 tem segunda pior média de defesas de cinturão no UFC

Com projeção dos duelos já agendados, ano terá apenas 15 defesas em suas atuais dez categorias; confira os dados completos desde 2001

Cobiçado cinturão do UFC tem ficado na prateleira em 2014. Foto: Josh Hedges/UFC

Cobiçado cinturão do UFC tem ficado na prateleira em 2014. Foto: Josh Hedges/UFC

Devido às recorrentes lesões, os torcedores do UFC se acostumaram a esperar mudanças de última hora nos cards de 2014. Com alguns campeões sem lutar durante quase todo o ano e outros dando as caras poucas vezes, uma questão tem martelado a cabeça dos fãs: o quanto esse cenário tem atrapalhado o andamento da organização? Por isso, o SUPER LUTAS foi atrás dos números, levantou as estatísticas e encontrou a resposta: sem novas alterações repentinas, 2014 caminha para se tornar o ano com a segunda pior média de defesas de cinturão na história do UFC sob a administração da Zuffa – empresa de Dana White e dos irmãos Fertitta.

O critério utilizado neste levantamento é simples. Foram relacionados os seguintes dados: número absoluto de defesas de cinturão em um ano e número de cinturões existentes/em disputa no mesmo período. É importante também destacar que na conta, não foram levados em conta os títulos interinos, somente os lineares. Assim, com um total de 15 defesas em dez categorias vigentes e média de 1,5 (considerando as já programadas lutas pelo título dos leves e meio-médios no UFC 181 e a disputa inaugural da categoria peso palha) o ano de 2014 ficou com a segunda pior média histórica.

A pior média histórica desde a reformulação do Ultimate, com sua compra por parte da Zuffa em 2001, ficou com o ano de 2012, cujo número final foi puxado para baixo devido ao fato do cinturão peso galo não ter sido posto em jogo nenhuma vez sequer – em razão do longo período de inatividade do ex-campeão Dominick Cruz. Assim, 2012 teve apenas 11 defesas de cinturão com oito categorias vigentes, resultando em uma média geral de 1,36 defesas/ano. Curiosamente, o cinturão dos galos (até 61,2 kg) foi aquele mais vez posto em jogo neste ano, em três oportunidades, duas vezes pelo ex-campeão Renan Barão e uma pelo atual TJ Dillashaw.

Confira abaixo, ano a ano, os números absolutos e a média de defesas de cinturão do UFC:

2014:

Defesas totais: 15;
Número de cinturões vigentes: 10;

Média: 1,5.

2013:

Defesas totais: 17;
Número de cinturões vigentes: 9;

Média: 1,89.

2012:

Defesas totais: 11;
Número de cinturões vigentes: 8;

Média: 1,38.

2011:

Defesas totais: 13;
Número de cinturões vigentes: 7;

Média: 1,89.

2010:

Defesas totais: 9;
Número de cinturões vigentes: 5;

Média: 1,8.

2009:

Defesas totais: 8;
Número de cinturões vigentes: 5;

Média: 1,6.

2008:

Defesas totais: 9;

Número de cinturões vigentes: 5;

Média: 1,8.

2007:

Defesas totais: 8;
Número de cinturões vigentes: 5;

Média: 1,6.

2006:

Defesas totais: 11;
Número de cinturões vigentes: 5;

Média: 2,2.

2005:

Defesas totais: 7;
Número de cinturões vigentes: 4;

Média: 1,75.

2004:

Defesas totais: 5;
Número de cinturões vigentes: 3;

Média: 1,67.

2003:

Defesas totais: 6;
Número de cinturões vigentes: 4;

Média: 1,5.

2002:

Defesas totais: 9;
Número de cinturões vigentes: 5;

Média: 1,8.

2001:

Defesas totais: 10;
Número de cinturões vigentes: 5;

Média: 2.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments