Maldonado revela ter lutado no UFC Rio com grave lesão no joelho

Brasileiro rompeu o menisco semanas antes da vitória contra Hans Stringer e disse que chegou a desistir da luta, mas voltou atrás

F. Maldonado (esq.) na vitória sobre H. Stringer (dir.) no Rio. Foto: Josh Hedges/UFC

F. Maldonado (esq.) na vitória sobre H. Stringer (dir.) no Rio. Foto: Josh Hedges/UFC

Para um lutador profissional, conviver com lesões e até atuar sem estar 100% fisicamente é algo até certo ponto comum. Porém, o peso meio pesado Fábio Maldonado deu um verdadeiro exemplo de superação ao não desistir da luta contra Hans Stringer no UFC Rio 5, realizado no último dia 25 de outubro, mesmo tendo sofrido uma contusão muito grave. Em entrevista, Maldonado revelou ter rompido o menisco do joelho esquerdo durante sua preparação para o duelo e que ainda assim, apesar das dores e limitações físicas, optou por permanecer no card.

“A minha situação estava horrível. Eu tinha desistido de lutar, comi de forma errada por três dias, tomei injeções no hospital para curar a lesão e cheguei a ficar com 112 kg 34 dias antes da luta. Mas aí conversei com o Patricio Pitbull e ele me incentivou a tentar. Quando faltavam 26 dias para a luta, eu já estava com 104 kg de novo e melhor do joelho. Eu ainda não queria lutar e o Patricio me dizendo para tentar mais um pouquinho. Um dia eu sentia firmeza e treinava bem, depois eu treinava mal por dois dias e achava que não tinha condições. Uns amigos meus que me pegaram no aeroporto disseram: ‘Nossa, cara, você veio de arrastando. Como vai lutar?’. Só que a cabeça do ser humano é tudo. Pensei: ‘Vamos nessa. Tenho três filhos para criar. Vamos trabalhar’. Fui empurrando com a barriga”, disse o “Caipira de Aço” ao site do canal “Combate”.

Passada a dificuldade e com mais uma vitória para o seu cartel, que agora conta com 22 vitória e sete derrotas, Maldonado já tem em mente seu objetivo para a sequência: enfrentar o veterano Dan Henderson, ou pelo menos algum adversário mais bem ranqueado. “Muita gente está pedindo para eu lutar contra o Dan Henderson. Eu ficaria felizão, mas não tenho que escolher. Só quero lutar contra alguém que esteja acima de mim no ranking. O Hans Stringer estava abaixo de mim. Quero lutar contra um cara um pouco melhor do que eu no ranking. É isso que interessa para eu poder subir mais. Tem que andar para frente”, concluiu.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments