Chris Weidman escreve carta para Assembleia de Nova York pedindo pela legalização do MMA

Campeão dos médios espera que projeto de lei que autorize lutas no estado seja aprovado em votação futura

C. Weidman (foto) partirá para sua quarta defesa de cinturão. Foto: Brandon Magnus/UFC

C. Weidman (foto) quer defender o título em Nova York. Foto: Brandon Magnus/UFC

A comunidade do MMA e o UFC batalham há anos para que o esporte seja legalizado no estado de Nova York, o único nos Estados Unidos em que as lutas não são permitidas. Uma decisiva votação da Assembleia do estado será realizada em breve e poderá por um ponto final na discussão.

Veja Também

Nova York está prestes a legalizar o MMA, diz jornal norte-americano
UFC conta com legalização e prepara evento para Nova York ainda em 2015
UFC reserva data em ginásio para realizar evento em Nova York em dezembro

Quem está ansioso para ver isso acontecer é o atual campeão dos médios do UFC, Chris Weidman. O lutador, que nasceu e sempre morou em Nova York, espera poder realizar o sonho de competir em sua cidade natal caso o MMA seja enfim legalizado.

Para isso, Weidman escreveu uma longa carta destinada à Assembleia do estado, apontando os motivos pelos quais acha que o projeto de lei deva ser aprovado. O campeão é cotado para encabeçar aquele que seria o evento inaugural do UFC em Nova York, quando defenderia seu título diante de Luke Rockhold no ginásio Madison Square Garden, em dezembro.

Confira os principais trechos da carta de Weidman:

Prezada Assembleia do estado de Nova York

Meu nome é Chris Weidman. Nasci, fui criado e ainda vivo no grande estado de Nova York. Sou um lutador de MMA profissional e sou o atual campeão dos médios do UFC. Escrevo sobre o projeto de lei que propõe a legalização do MMA em Nova York.

Como vocês sabem, Nova York é o único estado norte-americano no qual o MMA profissional ainda é ilegal. Todos os outros 49 estados adotaram regras padronizadas para regulamentar o esporte, desde categorias de peso até padrões de saúde e segurança. Com a ascensão do UFC, o MMA se tornou um dos esportes que mais crescem nos Estados Unidos, e eu, um nativo nova-iorquino, me sinto orgulhoso em fazer parte deste crescimento.

Para mim, poder lutar em meu estado natal seria um sonho se tornando realidade.

Eu lembro de minhas primeiras lutas antes de chegar ao UFC. Eu tive uma luta em Atlantic City, Nova Jersey, que é o local mais perto de casa que já lutei. Havia várias pessoas que dirigiram por três horas para torcer e me ver lutar. Quando você investe muito em algo, seja física ou emocionalmente, como acontece no MMA, não há nada como ter seus amigos e família para te apoiar.

Então, cheguei ao UFC e nunca mais lutei na costa leste.

Já lutei em toda parte, desde Chicago, Canadá e Califórnia. Desde que lutei pelo título dos médios, só estive no maior palco do esporte, Las Vegas. Mas não há nenhum lugar como a própria casa.

Eu sou abençoado o bastante para viver alguns de meus sonhos. Sou o atual campeão dos médios do UFC, sou casado com o amor da minha vida e temos duas lindas crianças, com uma terceira a caminho. Tenho família, amigos e uma comunidade inteira em Nova York me apoiando em tudo o que faço.

Mas, desde que comecei no MMA, sonho em subir no octógono no Madison Square Garden. Depois de fazer várias lutas por todo o país, não consigo nem imaginar como seria finalmente lutar em casa, com toda minha família nas arquibancadas me assistindo.

Isso me arrepia só de pensar.

Já faz muito tempo que o UFC batalha para entrar em Nova York, e chegou a hora de essa batalha chegar ao fim. O Senado de Nova York votou em peso por seis anos seguidos para aprovar o projeto de lei, mas ele nunca passou pela Assembleia.

Com menos de 48 horas para a votação da lei, peço encarecidamente ao porta voz da Assembleia, o honorável Carl E. Heastie, que permita que o projeto chegue à votação.

Eu agradeço pela atenção e espero que vocês considerem meu pedido para que eu possa ver dois dos meus maiores amores se unirem: o MMA e o estado de Nova York.

Obrigado pela consideração

Sinceramente,

Chris Weidman

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments