Após sair do UFC, Josh Thomson assina com rival Bellator

Ex-campeão do Strikeforce voltará a trabalhar com o presidente Scott Coker e será mais um de sua agência de atletas a fazer a migração de eventos

Thomson foi clicado assinando seu novo contrato. Foto: Bellator

Thomson foi clicado assinando seu novo contrato. Foto: Bellator

Ex-campeão do extinto Strikeforce e um dos principais nomes do peso leve do UFC, o veterano Josh Thomson acaba de deixar a maior organização de MMA do planeta e migrar diretamente para o rival Bellator.

Veja Também

Defesa de Anderson Silva culpa ‘viagra’ por doping e pede absolvição do lutador
Tito Ortiz concorda com Wand e diz que há lutas armadas no UFC
Kennedy critica pagamento aos atletas com acordo da Reebok: ‘Horrível, trágico e patético’

Cerca de um mês após a última luta de seu vínculo com o Ultimate, na qual foi derrotado por Tony Ferguson, Thomson optou por não renovar seu contrato com a organização e aceitar a oferta do Bellator, evento presidido por Scott Coker, com quem o atleta da American Kickboxing Academy já trabalhou nos tempos de Strikeforce.

“Estou lendo um repórter do UFC dizendo que eles rejeitaram renovar comigo, quando a verdade é que eles vêm tentando renovar comigo nas minhas últimas duas lutas. Eu rejeitei e preferi lutar até o fim do meu contrato para testar o mercado com passe livre com o Bellator. Nessa altura, o Bellator me fez uma oferta que o UFC não podia igualar, devido ao seu relacionamento com a Fox e a Reebok. Está feito, voltei a trabalhar com Coker, e não poderia estar mais empolgado em voltar a uma organização que está crescendo, com contratos favoráveis aos lutadores. Qualquer lutador inteligente vai aonde o dinheiro está, e, para mim, o dinheiro estava no Bellator”, disse Thomson no comunicado oficial de sua contratação.

Josh Thomson se junta a Phil Davis e Josh Koscheck, nomes importantes do UFC que recentemente optaram por deixar a organização ao fim de seus acordos e aceitar uma oferta do Bellator. Em comum, o trio a representação de suas carreiras feita pela mesma empresa, a Zinkin Entertainment and Sports Management, que possui boa relação com Scott Coker. Aos 36 anos, Thomson chega ao Bellator com um cartel profissional de 20 vitórias, oito derrotas e uma luta sem resultado, o “Punk”, como é conhecido, vem de três revezes consecutivos, a pior série de sua carreira.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments