Em nota oficial, UFC diz que aguarda retorno de Anderson Silva em 2016

Organização reconheceu o histórico do Spider e evitou comentar diretamente a punição aplicada ao ex-campeão

Anderson (foto) ainda tem direito a contraprova; julgamento será no dia 19/02. Foto: Josh Hedges/UFC

Anderson (foto) não poderá voltar a lutar antes de fevereiro de 2016. Foto: Josh Hedges/UFC

Nesta quinta-feira (13), após vários adiamentos, Anderson Silva foi julgado por ser flagrado em exames antidoping antes e depois do UFC 183 e condenado a um ano de suspensão pela Comissão Atlética de Nevada. Diante da punição ao Spider, a organização do Ultimate divulgou uma nota oficial comentando o episódio e adotou um tom bastante prudente, demonstrando respeito à história do ex-campeão e aguardando seu retorno ao octógono.

Veja Também

Anderson Silva recebe um ano de suspensão por caso de doping no UFC
Audiência em Nevada também pune Shields, Toquinho e Monstro
Weidman x Rockhold será a luta co-principal do UFC 194

“De acordo com a audiência realizada nesta quinta-feira pela Comissão Atlética de Nevada, Anderson foi obrigado a cumprir suspensão de 12 meses das competições, retroativa desde a sua última luta, em 31 de janeiro. Ao final de sua suspensão, Silva deve apresentar antes de sua próxima luta um teste negativo após a reaplicação do exame, em Nevada. A organização do UFC mantém uma política restrita, consistente contra o uso por seus atletas de qualquer substância ilegal e ou que melhore o desempenho, estimulantes ou agentes que ocultem os resultados dos exames, e apoia totalmente os esforços da Comissão para garantir uma competição por todos os atletas do MMA. O UFC reconhece a grande carreira de Silva e aguarda pelo seu retorno ao Octógono em 2016”, diz o comunicado divulgado pela organização.

Após a decisão da Comissão Atlética, Anderson Silva passou a ter um cartel profissional de 33 vitórias, seis derrotas e uma luta sem resultado. A suspensão do Spider é retroativa e vai até o dia 31 de janeiro de 2016, portanto se estendendo pelos próximos cinco meses.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments