Velasquez diz se preparou mal para luta contra Werdum e promete ‘ser mais ativo’

Ex-campeão dos pesados enfrentará o brasileiro novamente, em duelo ainda sem data oficial para acontecer

C. Velasquez (foto) machucou seu joelho. Foto: Josh Hedges/UFC

C. Velasquez (foto) tem amplo histórico contra adversários brasileiros. Foto: Josh Hedges/UFC

Apesar de já ter a revanche contra Fabrício Werdum garantida, em duelo ainda sem data oficial para acontecer, o ex-campeão dos pesos pesados Cain Velasquez não parece ter esquecido o primeiro encontro com o brasileiro, no qual perdeu o título da divisão até 120 kg, no México. Em entrevista, Velasquez lembrou a derrota e disse que não se preparou adequadamente para o desafio de enfrentar Werdum na altitude.

Veja Também

Lutador do UFC é proibido de participar de evento beneficente
Lutador exagera na força e ‘se borra’ em combate nos EUA
Site norte-americano revela identidade de adversário de Fedor

“Eu deveria ter me preparado melhor, mas eu não fiz isso. Então, com relação a isso, não tem o que fazer. Foi a minha primeira vez lutando naquele tipo de altitude, então você aprende com o erro e segue em frente. Da próxima vez, se isso acontecer de novo um dia, eu já sei o que tenho que fazer”, disse o ex-campeão, em entrevista ao site oficial do “UFC”.

Além disso, Velasquez também comentou as críticas que recebe por seus longos hiatos no octógono, motivado na maioria das vezes por lesões, e prometeu que será um lutador mais atuante no futuro. “Eu gostaria de ser um lutador mais ativo. Também gostaria de não ter nenhuma lesão, adoraria que as coisas fossem assim (risos). Mas sobre o futuro, eu não penso nisso. Eu tento lidar com as coisas dia após dia. Quando ao meu legado, obviamente isso é algo que as pessoas vão decidir no futuro. A única coisa que eu posso fazer é dar tudo de mim quando eu entro no octógono”, afirmou.

Aos 33 anos, Cain Velasquez tem um cartel profissional no MMA de 13 vitórias e duas derrotas. Na revanche contra Fabrício Werdum, que deve acontecer no primeiro semestre de 2016, o norte-americano de ascendência mexicana completará sete lutas consecutivas contra apenas três adversários brasileiros: o próprio Werdum, Junior Cigano e Antônio Pezão.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments