Empresa de Ronaldo corta relações com o UFC e detona contrato com a Reebok

"9ine" citou seu longo histórico no MMA e responsabilizou acordo com a marca por fim de seus trabalhos no Ultimate

Auge da atuação da 9ine e Ronaldo (dir.) no UFC foi durante o reinado de A. Silva (esq.). Foto: Josh Hedges/UFC

Auge da atuação da 9ine e Ronaldo (dir.) no UFC foi durante o reinado de A. Silva (esq.). Foto: Josh Hedges/UFC

Após ser responsável pelo gerenciamento da imagem de alguns dos principais ex-campeões do MMA brasileiro, como Anderson Silva, Vitor Belfort e Junior Cigano, a “9ine”, empresa comandada pelo ex-craque da seleção brasileira Ronaldo, está oficialmente fora do UFC. E o rompimento entre as partes não parece ter sido dos mais amigáveis.

Veja Também

Cro Cop se machuca, desiste de luta no UFC e anuncia aposentadoria
Henderson ‘esquece’ derrota no UFC SP e curte praia
UFC São Paulo é marcado por manifestações políticas de lutadores e torcida

Por meio de nota oficial, publicada pelo site do canal “Combate”, a empresa fez duras críticas ao atual modelo de gestão da maior organização de MMA do planeta e citou o contrato de exclusividade no fornecimento de material esportivo e patrocínio com a Reebok como principal responsável pelo fim das relações com o evento.

Em certo trecho da declaração, a “9ine” argumenta que Ronaldo considera inaceitável “ver uma organização alterar suas regras de captação de patrocínio e remuneração dos lutadores – de maneira arbitrária – sem tomar uma posição. (…) Sendo assim, a 9ine sai do “negócio UFC” sem deixar de se posicionar a respeito do que acreditamos ser uma injustiça com os atletas, verdadeiros guerreiros, que vivem do MMA. A eles, desejamos todo o sucesso e sabedoria para lidar com as dificuldades que se avizinham”.

O acordo entre a Reebok e o UFC foi assinado em dezembro de 2014, mas entrou em vigor a partir de julho deste ano, na semana do UFC 189. A partir da data, os lutadores até podem manter seus patrocinadores pessoais, mas fica vetada a exposição de suas marcas durante a semana de lutas ou o uso de seus materiais esportivos no octógono, que passa a ser de exclusividade da Reebok.

Confira abaixo, na íntegra, a dura declaração da 9ine:

Comunicamos que a partir desta data a 9ine Sports & Entertainment se retira de qualquer negociação que envolva o UFC, seus eventos ou lutadores. A agência não acredita no novo modelo adotado pela empresa na captação de patrocínio e é de opinião que este fere diretamente todos os atletas da organização, além das empresas que apoiaram e apostaram no UFC por longos anos.

A história entre 9ine e UFC é antiga. Fomos a primeira agência de marketing esportivo e entretenimento a mergulhar de cabeça em projetos propostos pela franquia. Fomos também pioneiros ao trabalhar a imagem de lutadores como Anderson Silva, Junior Cigano e mais recentemente Vitor Belfort. Todos campeões e referências em suas categorias.

Mas nem só de negócios se faz uma grande empresa. Temos princípios fundados na visão de um ex-atleta e amante do esporte. Nosso presidente, Ronaldo Nazário, não tolera ver uma organização alterar suas regras de captação de patrocínio e remuneração dos lutadores – de maneira arbitrária – sem tomar uma posição.

Sendo assim, a 9ine sai do “negócio UFC” sem deixar de se posicionar a respeito do que acreditamos ser uma injustiça com os atletas, verdadeiros guerreiros, que vivem do MMA. A eles, desejamos todo o sucesso e sabedoria para lidar com as dificuldades que se avizinham.”

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments