Jones considera processar comissão por caso de doping envolvendo cocaína

Lutador norte-americano não achou correta a divulgação do teste mesmo que não se tratasse de nenhuma infração às regras

J. Jones está de volta ao UFC. Foto: Josh Hedges/UFC

J. Jones está de volta ao UFC. Foto: Josh Hedges/UFC

Nos últimos meses, Jon Jones passou boa parte de seu tempo resolvendo seus problemas extra-octógono, o que incluiu um acidente de trânsito controverso e sua suspensão do UFC. Agora com suas pendências solucionadas, o ex-campeão pretende voltar suas atenções a um antigo desentendimento com a Comissão Atlética de Nevada, a qual considera processar por um erro de procedimento.

Veja Também

Jones admite vício em drogas e diz: ‘Temi perder minha liberdade’
Treinador explica uso de cocaína por Jon Jones: ‘Ele gosta de curtir e sai com idiotas’
Jones reconhece: ‘Eu estava vivendo como um idiota’

Pouco depois de Jones vencer Daniel Cormier no UFC 182, em janeiro, a entidade norte-americana divulgou que o então campeão dos meio-pesados havia sido flagrado em um exame antidoping com cocaína, em teste feito cerca de um mês antes do combate.

A grande questão é que Jones não cometeu nenhuma irregularidade no que diz respeito ao código antidopagem: cocaína só é proibida no chamado “período de competição”, ou seja, até 12 horas antes da realização da luta. Assim, em tese, o teste para cocaína sequer deveria ter sido feito, quanto mais ter seu resultado divulgado ao público.

Jones, que se sentiu lesado com a questão, disse que considera entrar na justiça. “Eu tenho até três anos para processá-los pelo que eles fizeram comigo. Eu não tinha o direito de usar cocaína, mas eles não tinham o direito de me testar para drogas recreativas e mostrarem o resultado ao público. Isso com certeza me causou vários contratempos. Vamos dizer que eu ainda não esqueci desse assunto”, disse Jones, em entrevista ao site norte-americano “MMA Fighting”.

O lutador, porém, pretende tomar suas atitudes com cautela, já que reconhece que a Comissão de Nevada poderá reagir de forma vingativa. “Pela forma com que eles puniram Nick Diaz por cinco anos ou a forma que eles lidaram com o meu teste de cocaína, sinto que eles acham que podem fazer o que quiserem, contra quem quiserem. Uma hora alguém terá de bater de frente e questionar o que eles podem fazer”, completou.

Justamente por não ter cometido nenhuma infração ao regulamento antidoping, Jones teve mantida sua vitória contra Cormier. Os dois deverão se enfrentar novamente no primeiro semestre do ano que vem, em data e local a serem definidos.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments