Belfort critica política de patrocínios do UFC, mas garante que não abandonará o evento

Brasileiro citou altos custos que antecedem uma luta e pediu que lutadores sejam mais valorizados

Vitor (foto) enfrentará D. Henderson em São Paulo. Foto: Divulgação

Vitor (foto) volta a lutar em maio, no UFC 198, em Curitiba. Foto: Divulgação

Crítico constante da nova política de patrocínios do UFC, que concedeu exclusividade no fornecimento de material esportivo e na exposição de marcas no octógono à Reebok, Vitor Belfort voltou a reclamar da forma como a organização vem lidando com seus atletas. Belfort, porém, garantiu que não deixará o Ultimate por esse motivo, mas tentará fazer com que o evento se adapte e encontre um novo formato.

Veja Também

“Eu não preciso mudar de evento, não preciso fugir. O ditado diz: o grande amigo não é o cara que fala só coisas que você quer ouvir, é o que fala as verdades. Sou fiel à organização, acredito nela, lutei por ela. O UFC está na Globo porque chamei o dono dela, o Robertinho (Marinho), e sentei com ele e o Lorenzo (Fertitta) em um jantar. Não é porque estou contra eles nesse sentido que quero abandoná-los. Quero estar junto na mudança. É fácil estar junto na hora da alegria. E na hora da tristeza? Quero mostrar ao UFC que ele estão errados e que irão mudar. Basta eles tomarem uma decisão, trazerem o modelo da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais)”, disse o “Fenômeno”, em entrevista ao site do canal “Combate”.

PUBLICIDADE:

O ex-campeão também citou os altos custos de um camp de treinamento para justificar seu ponto de vista. “Um camp custa muito dinheiro, pode variar de 100 a 200 mil dólares. Outra coisa importante citar é que se o lutador se contundir, o prejuízo todo é do lutador. Investimos em nós mesmos, mas ninguém paga para você. Tinha que ter um salário base para quem faz luta principal e co-luta principal. Se você é do card preliminar, ganha ‘X’ ou vai ter o direito de o patrocinador ajudar a pagar o camp. Se o lutador não está satisfeito, algo está errado. É isso que tem que mudar, com urgência. Temos que arrumar um modelo em que todos estejam satisfeitos. A insatisfação não é só minha, é de vários lutadores, que sofrem com isso. Estou perdendo milhões, milhões, muitos milhões. Mas não é questão do valor, porque o Vitor Belfort está aí há 20 anos, cada um tem seu valor. Nem sempre o cara que está ganhando tem mais valor de mercado que o cara que tem história. Tem que existir um modelo que traga benefícios para os lutadores, que são a cereja do bolo”, garantiu.

Vitor Belfort volta ao octógono no próximo dia 14 de maio, em Curitiba (PR). O Fenômeno fará a luta co-principal do UFC 198, no estádio Arena da Baixada, diante do compatriota Ronaldo Jacaré. O duelo vem sendo apontado como uma eliminatória pelo título dos médios.

PUBLICIDADE:

Leia Mais sobre: ,


Comentários

Deixe um comentário

Resultados do UFC 300 Resultados do UFC Las Vegas 90 Resultados do UFC Atlantic City Resultados do UFC Las Vegas 89 Resultados do UFC Las Vegas 88