‘Aldo quer provocar, mas não é bom nisso’, critica Edgar

Norte-americano diz que brasileiro quer promover luta para mostrar um ‘falso senso de segurança’ depois de perder o cinturão

F. Edgar (foto) é o atual número 2 na categoria de penas. Foto: Josh Hedges/UFC

F. Edgar (foto) é o atual número 2 na categoria de penas. Foto: Josh Hedges/UFC

O torcedor mais atento pode ter percebido que José Aldo recentemente fez algumas provocações públicas contra seu próximo adversário, Frankie Edgar – como quando declarou que já o venceu usando apenas um braço. O norte-americano, no entanto, não vê com estranheza a atitude do brasileiro, a quem considera somente estar tentando promover o segundo duelo entre os dois, no UFC 200.

Veja Também

Aldo se irrita com provocações de fãs de McGregor: ‘É um saco do c***!’
Após ameaças de morte, McGregor aumenta equipe de seguranças
Aldo detona McGregor por saída do UFC 200: ‘Fraco’

Edgar considera que Aldo, assim como vários outros atletas, vem tentando chamar mais atenção do público para seguir o exemplo de Conor McGregor, que ganhou notoriedade no UFC devido à sua postura fora do octógono. Porém, o ex-campeão dos leves acredita que o brasileiro não leva jeito para a promoção.

“Você vê isso acontecendo em todas as categorias: os caras estão falando mais. Eles veem o que isso proporcionou a Conor, então estão tentando se fazer ouvir. Acho que é isso que Aldo vem fazendo. Ele está tentando promover a luta. Ele apenas não é muito bom fazendo isso”, opinou, em entrevista ao site “MMA Fighting”.

Mais que isso, Edgar acredita que Aldo quer passar ao público a sensação de que se recuperou do nocaute sofrido em apenas 13 segundos para Conor McGregor, em dezembro do ano passado. “Ele ouve as pessoas falando de como nossa luta foi apertada, mas aí ele quer mostrar um falso senso de segurança. Talvez seja porque ele está tendo que lidar com o nocaute”, declarou.

Aldo e Edgar disputam o cinturão interino dos penas no UFC 200, no dia 9 de julho. Os dois se enfrentaram pela primeira vez em fevereiro de 2013, quando o brasileiro levou a melhor na decisão dos juízes.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments