Lutadores anunciam criação da MMAAA, entidade para proteger atletas

Liderada por nomes como St. Pierre e Cain Velasquez, entidade exige melhores condições de trabalho e maior participação nos lucros pelos atletas

Rebney, St. Pierre, Cerrone, Dillashaw, Kennedy e Velasquez anunciam a criação da MMAAA

Rebney, GSP, Cerrone, Dillashaw, Kennedy e Velasquez anunciam a criação da MMAAA

O mundo das lutas pode estar próximo de uma grande revolução. Na noite desta quarta-feira (30) os lutadores Georges St. Pierre, Cain Velasquez, Donald Cerrone, Tim Kennedy e TJ Dillashaw anunciaram a criação da ‘Associação dos Atletas de MMA’ (MMAAA na sigla em inglês), entidade que visa a proteger e  buscar melhorias para os atletas da modalidade. Além dos competidores, o ex-presidente do Bellator, Bjorn Rebney,foi apresentado como consultor da entidade.

Veja Também

UFC está perto de renovar contrato bilionário com canal de TV, diz site
Treinador de McGregor diz que Aldo como campeão linear dos penas “é ridículo”
Lutadores demonstram solidariedade com tragédia da Chapecoense

“Eu sou um dos raros lutadores que saiu saudável e rico. Não posso dizer o mesmo da maioria dos caras. Até mesmo o Conor McGregor não tem a divisão justa que deveria. Lutadores têm sido ameaçados ou intimidados. Há pessoas que se aproximaram de mim pela mesma situação, esta equipe é a mais sólida. É hora de sermos ouvidos e fazer as mudanças acontecerem. Na maioria dos esportes é 50/50 (promotores e atletas). Para nós, é cerca de 8%”, disparou o canadense Georges St. Pierre, que deixou o UFC em 2013 como campeão dos meio-médios por não concordar com algumas políticas do Ultimate.

Por sua vez, Cain Velasquez, ex-campeão dos pesos pesados do UFC,destacou a falta de planos da organização para os atletas que irão “pendurar as luvas”.

“Eu passei por sete cirurgias desde 2008. Depois da minha luta, tenho a próxima cirurgia agendada. Não existe plano de saúde pós-aposentadoria. É para isso que estamos unidos agora, para melhorar as nossas vidas no futuro”, disse Velasquez.

Ainda sem greve

Apesar de estarem dispostos a confrontar as organizações e exigir  melhorias, os atletas afastaram a possibilidade de greve em um primeiro momento. Muitos deles possuem lutas marcadas para as próximas semanas e deverão cumprir normalmente seus compromissos.

“Nós não queremos uma greve. Queremos trabalhar junto e ser um time com o UFC, ter esse orgulho”, garantiu Velasquez.

Veja os principais itens levantados pela Associação:

1- MMAAA será comandada única e exclusivamente por lutadores;
2- Eles exigem poder de negociação direta com o UFC;
3- Meta de passar de 8% para 50% a fatia destinadas aos atletas;
4- Inclusão de uma CBA nos moldes de ligas como NFl e NHL que oferece a a possibilidade de negociar mudanças contratuais para todos lutadores de uma vez só.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments