Cigano desafia Werdum e lutadores trocam farpas em declarações

Desafetos declarados, ex-campeões dos pesados trocaram acusações nos últimos dias

Cigano (esq) e Werdum (dir) são desafetos declarados. (Foto: Produção SUPER LUTAS / Getty Images)

Cigano (esq) e Werdum (dir) são desafetos declarados. (Foto: Produção SUPER LUTAS / Getty Images)

A rivalidade entre os brasileiros Fabrício Werdum e Junior ‘Cigano’ dos Santos não para de aumentar. Após Cain Velásquez ser retirado da luta contra “Vai Cavalo” no UFC 207, dia 30 de dezembro, por conta de uma lesão, Cigano não perdeu tempo e desafiou o compatriota, garantido que um confronto entre eles foi oferecido por Dana White, presidente do Ultimate, mas o gaúcho não teria aceitado.

Veja Também

Comissão Atlética retira Velasquez de luta contra Werdum no UFC 207
Júnior Cigano enfrenta Struve em revanche pelo UFC Halifax
Miocic minimiza Werdum e Cigano: “Não importa o adversário, eu vou vencer”

“O Mick Maynard, matchmaker do UFC, bem como o Dana White pessoalmente tentaram fazer essa luta acontecer. Infelizmente, o Werdum negou, então fica para outra vez. Quanto às declarações do Werdum, acho que ele foi bem infeliz. Ofensa é a arma dos covardes, e eu acredito que os fatos falem por si. Como costumo dizer, você não consegue enganar as pessoas por muito tempo. Acho que hoje a máscara caiu de vez. Se vocês recordarem, falei cerca de um mês atrás – quando fui questionado em uma entrevista – que, apesar de topar substituir tanto o Cain quanto o Werdum, achava que o Werdum inventaria alguma desculpa para negar a luta comigo. E assim foi né… Não apenas foi proposta essa luta entre eu e o Werdum, como até visto de trabalho e detalhes logísticos foram tratados entre minha equipe e o UFC”, disse Cigano.

Fabrício, por sua vez, usou da ironia para rebater Dos Santos, colocando em cheque a homossexualidade do desafeto.

“O Cigano está aí corneteando porque está apagado. Os fãs chegaram a falar que ele era invejoso, mas eu não acho que ele é invejoso, eu acho que o Cigano não saiu do armário. Ele só pode gostar de mim, porque eu não sou o campeão e o cara fica me corneteando, fica me enchendo o saco. Alguma coisa ele tem comigo, alguma coisa mal resolvida. Não tenho nada contra os homossexuais, contra os gays, nada, mas acho que o Cigano não saiu do armário, porque em nenhum momento foi cogitada a luta contra ele, ele que saiu falando. Ele está falando pra se promover, porque está apagado no mapa. Eu luto com qualquer um a hora que for, quando estiver preparado. Não vem com papinho que estou com medo, lutei com os melhores a vida inteira, e o Cigano que vá procurar outro, pois eu sou casado”, declarou, em entrevista ao site ‘Combate.com’.

Posteriormente, Werdum mudou a versão de sua resposta e aceitou o desafio de Cigano, garantindo que luta com qualquer adversário, independente de quem seja.

“Estou em espera. Se o UFC me ligar, vou lutar. Estou pronto para lutar. Se o UFC disser que tem um adversário, vou lutar. Vou lutar com qualquer um, como sempre fiz. Sempre lutei contra o melhor. Meu cartel mostra isso. Se eu tivesse medo de alguém, não estaria neste esporte. Ele (Cigano) disse algo ontem, disse que não sou um bom lutador. Vou mostrar para ele dentro do octógono. Nos coloquem lá agora, não há problema. Ele acha que sou o mesmo Werdum de 2007. Olhe para nós dois e veja quem evoluiu mais. Meu jogo mudou completamente (…). Quero lutar na sexta-feira. É difícil por causa da estratégia, para se preparar para alguém com dias de antecedência. Estive pensando sobre Cain Velásquez três ou quatro meses, treinando para ele, mas vou lutar com qualquer um” concluiu o lutador da Kings MMA.

Desafetos declarados, os ex-campeões peso pesado do UFC já se enfrentaram uma vez, no ano de 2008. Na ocasião, Cigano, que estreava na organização, nocauteou Werdum com pouco mais de um minuto de luta.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments