Empresário garante que Werdum aceitou lutar com Cigano

Ali Abdelaziz explicou que ex-campeão exigiu bolsa maior e chance de título garantida para enfrentar antigo algoz

Cigano (esq) e Werdum (dir) são desafetos declarados. (Foto: Produção SUPER LUTAS / Getty Images)

Cigano (esq) e Werdum (dir) são desafetos. (Foto: Produção SUPER LUTAS / Getty Images)

Veja Também

Amanda Nunes ironiza ‘jogo mental’ de Ronda e garante: “Sei como vou pará-la”
Em rede social, Werdum garante revanche com Miocic em 2017
Cigano desafia Werdum e lutadores trocam farpas em declarações

O ex-campeão Fabricio Werdum foi surpreendido no último sábado (24) com a notícia de que seu adversário Cain Velasquez foi vetado de lutar contra ele no UFC 207. Rapidamente, outro brasileiro, Junior Cigano se voluntariou para substituir o norte-americano, mas o combate entre brazucas acabou não acontecendo.

Especulou-se que Werdum se recusou a enfrentar Cigano com menos de uma semana para se preparar, mas segundo Ali Abdelaziz, empresário de “Vai Cavalo”, isso não aconteceu.

“Werdum aceitou a luta com Cigano nos seus termos. Cigano falou m…porque disse que a luta foi recusada na quinta-feira (22), mas Cain só foi vetado no dia 24”, comentou Abdelaziz, ao programa de rádio “MMAJunkie Radio”.

Os termos a que se refere o empresário de Werdum seriam financeiros. Para aceitar a luta com o também ex-campeão Cigano, “Vai Cavalo” queria uma bolsa maior, além da garantia de uma chance pelo título em caso de vitória. O UFC não atendeu às exigências e o combate não foi marcado. Os dois já lutaram no UFC 90, em outubro de 2008, com vitória por nocaute de Cigano.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments