Bisping descarta dar desculpas após revés: ‘GSP foi o melhor e me venceu’

Bisping elogiou St. Pierre após derrota e descartou pendurar as luvas após, já projetando seu retorno para março

Bisping elogiou GSP após derrota (Foto: Reprodução/Youtube UFC)

Bisping elogiou GSP após derrota (Foto: Reprodução/Youtube UFC)

Sempre muito provocador em suas entrevistas, Michael Bisping deixou, pelo menos por um momento, o personagem de lado após perder o cinturão dos médios ao ser finalizado por Georges St. Pierre na atração principal do UFC 217, no último sábado (04), em Nova York (EUA). Respeitoso, o inglês evitou dar desculpas para o revés e enalteceu os pontos fortes do algoz.

Veja Também

Ele voltou! St. Pierre apaga Bisping e conquista título dos médios
VÍDEO: Assista a finalização de Georges St. Pierre sobre Michael Bisping no UFC 217
Dana White crava que St. Pierre irá unificar cinturão com Whittaker

“Georges foi o melhor e me venceu. Não quero tirar o mérito dele, mas ele não estava me machucando com nenhum golpe, talvez por isso eu estivese tão confiante. Eu esperava que ele fosse usar seu wrestling comigo. Ele estava muito forte. Eu me sentia bem, e mesmo quando ele me levou para o chão eu consegui o que queria, que era acertar cotoveladas. Em pé eu estava bem, mas ele venceu, Deus o abençoe. É assim mesmo. Não me surpreendi, foi mais ou menos o que eu esperava. Ele sempre teve boa trocação, e não me surpreendeu, exceto quando acertou o gancho de esquerda que me derrubou. Isso foi uma grande surpresa. (…) Eu estava confiante lá dentro. Ele me pegou, é simples. Fez um bom trabalho. Para ser sincero, ele tem um bom queixo. Eu o abalei, mas ele se recuperou bem. Quando você está neste esporte há tanto tempo como eu e ele, sabe como aguentar momentos como esses”, declarou Bisping na entrevista coletiva pós-evento.

Nas últimas semanas, Bisping havia levantado a hipótese de pendurar as luvas após o combate. Quando questionado sobre o assunto, o inglês prontamente descartou a aposentadoria, garantindo estar pronto para voltar a lutar em breve, de preferência no card do UFC Londres, na Inglaterra, em março do próximo ano.

“Não preciso de tempo de folga, não tive lesão nenhuma. Estou bem. Só tive alguns arranhões no rosto. Talvez eu possa lutar em Londres, em março, se eu estiver livre. Não quero que a imagem da última vez em que lutei seja eu sendo estrangulado. Quero voltar e lutar mais uma. Não sei se vou ser o protagonista, porque acabei de ser apagado, mas eu adoro o que faço. Nasci em uma cidadezinha no noroeste da Inglaterra e nunca pensei que protagonizaria um evento no Madison Square Garden. Não foi minha noite, mas é assim que a coisa funciona nos esportes profissionais: um homem ou time vence, e um homem ou time perde. Hoje eu perdi”, concluiu o agora ex-campeão.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments