Após vídeo com desculpas, Marlon Sandro volta a agredir a ex-noiva

Lutador, com passagens por grandes eventos como Bellator Sengoku, foi acusado de tentar matar a ex-companheira Tayssa Madeira

Marlon pode pegar 20 anos de prisão. Foto: Reprodução / Instagram

Aconteceu mais uma vez! Apenas um dia após ir até as redes sociais, se dizer arrependido, e pedir por chance de competir, Marlon Sandro voltou a agredir a ex-noiva. Segundo o boletim de ocorrência, registrado por Tayssa Madeira, o lutador teria, inclusive, tentado matá-la. O incidente aconteceu no sábado de carnaval e foi relatado pelo site norte-americano “MMA Fighting”, nesta quarta-feira (21).

Veja Também

Marlon Sandro é acusado de agredir a noiva no Rio de Janeiro
Acusado de agredir noiva, Marlon Sandro pede emprego em rede social
De violência doméstica a assalto a banco: veja os maiores crimes já cometidos no MMA

De acordo com o relatório da polícia, Marlon Sandro invadiu a casa de Tayssa e a ameaçou com uma faca. Em seguida ele teria tentado sufocar a ex-noiva com um travesseiro para que ela parasse de chorar e pedir por ajuda. O lutador gritava com a vítima dizendo que ela havia arruinado sua vida e ele faria o mesmo com a dela.

Mesmo com as agressões, Tayssa ainda conseguiu ligar para mãe, que foi até o local com seu outro filho e eles retiraram Marlon do apartamento. Ainda segundo o boletim, o lutador estaria sob efeito de álcool ou drogas.

Marlon já foi indiciado pelas agressões de dezembro, quando o lutador teria deixado Tayssa com o olho roxo, com o braço lesionado e desacordada na rua, após a final da Copa Sul-Americana entre Flamengo e Independiente.

Pode pegar até 20 anos

A segunda agressão complica ainda mais a situação de Marlon Sandro com a Justiça brasileira. Pelas agressões de dezembro, Marlon Sandro foi enquadrado na Lei Maria da Penha, mas o processo só foi enviado ao Ministério Público na última terça-feira.

Agora, com o segundo caso, acusado de tentativa de homícidio, o lutador pode ir a Júri Popular e pegar uma pena de até 20 anos de prisão.

Notícias relacionadas