Aldo lamenta lesão de Holloway, mas vê caminho mais curto para reconquistar o cinturão

Com o campeão Max Holloway enfrentando problemas de saúde, brasileiro pode disputar o cinturão novamente caso vença Jeremy Stephens no sábado

Aldo volta ao octógono neste sábado. Foto: Reprodução / Instagram / UFC

Escalado para voltar ao octógono no próximo sábado (28) contra Jeremy Stephens, no UFC Calgary, José Aldo pode ter contado com a ajuda do destino para disputar o cinturão dos penas. Após perder o título e a revanche imediata para Max Holloway, o brasileiro viu o havaino com sérios problemas médicos e o triunfo no Canadá pode colocar o ‘Campeão do Povo’ novamente na rota do topo da divisão.

Veja Também

Equipe de Max Holloway nega derrame antes do UFC 226
Mauricio Shogun afirma que ‘a vida continua’ após sofrer nocaute no UFC Hamburgo
Decepcionado com sua performance, Glover Teixeira lamenta derrota para Corey Anderson

Em entrevista ao site do canal Combate, Aldo lamentou o problema com Holloway, mas fez questão de salientar que pelo lado profissional, o afastamento do campeão encurtou sua caminhada para retomar o título da categoria de até 65,7 kg.

“É uma situação bem difícil, não sei detalhes profundamente do que aconteceu com o Holloway. Eu torço muito para ele e fiquei feliz de vê-lo campeão. É um cara família, que tem bons pensamentos… Não vejo como “eu tenho que destruir esse cara”. É bem difícil a situação dele agora, uma pessoa que sempre sonhou em ser o campeão e, agora que conquistou, não está podendo fazer o que mais ama, que é lutar, defender o título. Eu torço pela melhora dele. Pensando no lado profissional, a saída dele abre espaço, porque acho que seria muito difícil ter uma terceira luta entre a gente agora. Acho que posso ter uma rota de cinturão mais rápida do que pensei. Não sei qual a real situação, de repente vencendo bem essa luta posso disputar um cinturão interino com o Ortega”, afirmou Aldo.

Apesar de considerar o caminho pelo título mais curto, Aldo não menospreza o duelo diante de Jeremy Stephens. Para ele, o veterano norte-americano de 42 lutas é um lutador que parte para encerrar as lutas o quanto antes.

“Ele é um cara agressivo, que procura acabar a luta o quanto antes, eu respeito. Acho que pra mim ele tem vários erros no jogo, é nisso que eu vou procurar trabalhar. Nesse momento, não preciso provar nada. Eu quero entrar, lutar e ver onde ele erra. Não tem o que eu falar, quero fazer o meu jogo”, encerrou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário