Após vitória no UFC São Paulo, Thiago Marreta não esquece Manuwa: ‘Vamos honrar nosso contrato’

Lutador brasileiro quer mais um teste na divisão de meio-pesados e mira em duelo contra inglês, quinto colocado no ranking da divisão

Marreta (foto) ainda quer luta contra Manuwa. Foto: Reprodução / YouTube ufc

Thiago Marreta estreou na divisão de meio-pesados (até 93 kg.) em grande estilo. O brasileiro travou uma verdadeira guerra contra Eryk Anders e venceu o norte-americano na luta principal do UFC São Paulo, realizado no último sábado (22), no Ginásio do Ibirapuera. Mas para o lutador, oriundo do peso médio (até 84 kg.), os desafios na categoria de cima ainda não terminaram.

Veja Também

Vídeo: Assista os melhores momentos da vitória de Thiago Marreta sobre Erik Anders no UFC São Paulo
Marreta vence guerra contra Anders e faz a festa da torcida no UFC São Paulo
Batalha entre Thiago Marreta e Eryk Anders leva bônus de ‘Luta da Noite’ do UFC São Paulo

Marreta revelou que ainda deseja encarar Jimi Manuwa em um próximo desafio nos meio-pesados. O inglês, quinto colocado no ranking do peso, seria o adversário de Thiago na capital paulista, mas ele se lesionou na semana do show e foi substituído por Anders.

“Eu desejo que ele (Manuwa) se recupere bem, o mais breve possível, e espero encontrá-lo até dezembro para a gente honrar o contrato que a gente assinou”, afirmou Marreta na sala de imprensa após o UFC São Paulo.

Thiago Marreta ainda analisou sua posição entre as categorias de médios e meio-pesados. Para ele, o problema não é bater o limite da divisão de baixo, mas a recuperação do corte para uma melhor apresentação. O brasileiro revelou que busca um desafio entre meio-pesados diante um atleta maior, como é o caso de Jimmi Manuwa.

“Eu consigo bater 84kg, isso é fato, venho de três lutas em 84kg este ano. O problema é a recuperação, não consigo voltar 100%. O primordial para mim é a minha saúde. Independente de eu lutar com um cara do tamanho do Jon Jones ou do (Alexander) Gustafsson, mas eu estando bem e saudável, com certeza vai ser uma guerra para eles. Outra coisa é eu voltar a 84kg e não ter resistência. É complicado. Ainda quero fazer uma luta de 93kg contra um cara maior do que eu, como o Manuwa, sentir a pressão, sentir os seus golpes do cara mais pesado, para ver se, depois de eu levar uma porrada do negão, se eu vou mudar de ideia ou se vou responder à altura”, encerrou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário