Aos 35 anos, Ryan LaFlare anuncia aposentadoria do MMA

O norte-americano comunicou por meio de sua rede social que ‘pendurou as luvas’ após ser nocauteado por Tony Martin no UFC 229

R. La Flare foi atleta do UFC por cinco anos. Foto: Reprodução/Facebook UFCBrasil

Após 10 anos como profissional nas artes marciais mistas, Ryan LaFlare revelou que está “pendurando as luvas”. Por meio de seu Instagram, o lutador confessou que sua luta contra Tony Martin no UFC 229 no sábado (06) em Las Vegas (EUA) provavelmente foi a última de sua carreira.

Veja Também

Kevin Lee e Al Iaquinta se enfrentam na luta principal do UFC Milwaukee
Após derrota para Formiga, Pettis sobe para os galos e enfrenta Font

Na postagem, La Flare explicou que sua decisão foi tomada após não sentir que estava presente física e mentalmente dentro do octógono. Além disso, as lesões que foram recorrentes em sua carreira, atualmente, cobram um preço ainda maior de seu corpo.

“Sábado à noite não foi do meu jeito. Este é um esporte implacável, ou você ganha ou perde. Você tem que ser “all in” (‘aposta todas as fichas’, expressão do poker) para ser bem sucedido. Mentalmente eu queria estar lá, mas eu fui atormentado com lesões no camp, assim como toda a minha carreira e tentei enfrentá-las, mantendo uma atitude positiva, mas quando eu comecei a fazer o meu corte de peso final eu desmoronei. Eu sempre disse a mim mesmo que, no segundo que eu não estivesse lá física e mentalmente, penduraria minhas luvas. Eu sou muito orgulhoso e apaixonado por este esporte para não doar tudo o que tenho. Meu corpo está realmente começando a pagar o preço. Depois de mais de 10 anos como um profissional de artes marciais mistas e mais de cinco anos com o UFC, dói dizer isso, mas no sábado, 6 de outubro, foi provavelmente a última luta da minha carreira profissional”, postou LaFlare.

Em 10 anos, La Flare realizou 17 combates, sendo 14 vitórias e três derrotas. O norte-americano estreou no UFC em abril de 2013 com um triunfo sobre Ben Alloway.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Saturday night didn’t go my way. This is a very unforgiving sport. You either win or lose. You have to be “ALL IN” to be successful. Mentally I wanted to be there but I have been plagued with injuries this camp as well as my whole career and tried to fight through them and keep a positive attitude but as I started making my final weight cut I started breaking down. I’ve always told myself the second I’m not there mentally and physically I will be hanging my gloves up. I’m too proud and passionate about this sport to not give it everything I have and my body is really starting to pay the toll. After 10+ years as a professional mixed martial artist and 5+ years with the @Ufc it hurts to say this but Saturday October 6th was most likely the last fight of my professional career. I want to thank the @ufc for allowing me to do what I love and give me the opportunity to travel around the world and showcase my skills. Thank you to my coaches @keith_trimble @greggdepasquale @henrihooft @kycerm @roblistrength @docmcamp @dr.amato_pt for putting in the extra time for me. This isn’t a very lucrative sport for coaches so I know all of their time wasn’t for financial reasons. Thank you to my manager @aliabdelaziz000 And @dominancemma_ for always looking out for me and having my best interest at mind. Thank you to all my friends, family and fans who have supported me over the years. You truly are my biggest motivation. Thank you to my parents George and @trishlaflare For molding me into the man I have become. Most importantly thank you to my wife @daniellelaflare and my children, they have to deal with all of the behind the scenes BS that no one gets to see and are always supportive no matter the outcome. I’ve made lifelong friends over the years and nothing can change that. You guys will be a part of me for the rest of my life. 🙌🙏 #teamlaflare #ryanlaflare

Uma publicação compartilhada por Ryan LaFlare (@laflaremma) em

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário