Max Holloway revela que sofreu depressão após série de lesões

Campeão dos penas revelou doença grave após problemas com lesões; Ele volta a entrar em ação no próximo mês de dezembro

Holloway ainda não conseguiu lutar em 2018 (Foto: Reprodução/FacebookUFC)

Sem pisar no octógono desde dezembro de 2017, quando nocauteou José Aldo pela segunda vez, Max Holloway teve que enfrentar desafios maiores fora do octógono este ano. Inicialmente agendado para enfrentar Brian Ortega no UFC 226, em julho passado, o campeão peso pena foi retirado do duelo após ser diagnosticado com sintomas de concussão.

O choque foi tamanho que desencadeou outra doença em Holloway: a depressão. Em entrevista ao programa ‘Good Show with Ben Ennis & JD Bunkis’, da emissora canadense ‘SportsNet’, o havaiano revelou que sofreu momentos complicados na vida pessoal, ao ponto de se afastar das pessoas e passar a enxergar a vida com outros olhos.

Veja Também

UFC 229 quebra recorde de vendas de pay-per-views, diz site
Kevin Lee e Al Iaquinta se enfrentam na luta principal do UFC Milwaukee

“Simplesmente me ajudou como pessoa, para perceber que às vezes você precisa desacelerar as coisas para colocá-las no lugar. Depois desta última, eu tive de lidar com a depressão. Depressão é real, e aquilo realmente me chocou fortemente. Eu passei por uma fase na qual eu não conversava com ninguém, só com meu filho. Eu e meu filho fazíamos coisas, mas eu não estava falando com ninguém. Se eu quisesse falar contigo, eu ligaria para você, mas se as pessoas estivessem tentando falar comigo, eu me afastava. Eu estava nesta situação. Agora que posso falar sobre isso, posso dizer às pessoas que não é esta a maneira de fazer. A maneira de lidar com isso é falar com a sua família, com os seus amigos, estar com todos, porque você não sabe quando as coisas podem mudar. A vida muda em um piscar de olhos, então viva a vida em sua totalidade”, declarou o lutador, que ressaltou a importância em buscar ajuda para tratar os eventuais problemas que aparecerem.

“Não tenha medo de buscar ajuda. Depressão é real. É louco. E todos estes caras, nós, atletas, continuamos pensando que somos super-heróis. Gosto de pensar que sou um super-herói, mas super-heróis às vezes têm de lutar com seus demônios também”, concluiu.

Passado alguns meses e uma bateria de exames intensos, Holloway foi liberado para atuar em dezembro de 2018, quando finalmente colocará seu cinturão em jogo contra Ortega, na edição 231 do UFC, em Toronto, no Canadá. Com apenas 26 anos, o havaiano é campeão linear desde junho de 2017, quando destronou José Aldo em pleno Rio de Janeiro. Seis meses depois, ele realizou sua primeira defesa de título, engatando sua 12ª vitória consecutiva na divisão dos penas.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário