Cormier dispara contra Lewis: ‘terá que me nocautear para vencer’

Eles aceitaram fazer a luta principal do UFC 230 com um mês de antecedência, no entanto, ‘DC’ admitiu: ‘posso colocar um ritmo mais forte do que ele mesmo com um camp curto’

D. Cormier deve fazer mais uma luta. Foto: Reprodução/Instagram @dc_mma

Após nocautear Stipe Miocic no UFC 226 e conquistar o cinturão dos pesados, Daniel Cormier foi desafiado por Brock Lesnar. No entanto, o astro da WWE poderá retornar ao Ultimate apenas em 2019. Pensando nisso, a organização adiantou a volta de ‘DC’ para a luta principal do UFC 230, dia 3 de novembro. O campeão aceitou enfrentar Derrick Lewis em disputa pelo título com um mês de antecedência.

Veja Também

Disputa de cinturão entre Cormier x Lewis é oficializada para o UFC 230
Cormier planeja defender o título dos meio-pesados antes da aposentadoria

O campeão dos pesados terá apenas 30 dias de treinamentos para encarar Lewis. Entretanto, isso não parece incomodar Cormier. Em entrevista ao canal norte-americano ESPN, Daniel afirmou que aceitou o combate porque em um curto espaço de tempo pode colocar um ritmo mais forte de treino. Assim, garante que sairá mais forte que o oponente.

“Não havia como dizer não, honestamente. Especialmente contra um cara como Derrick, que não é conhecido pelo melhor preparo físico. Tenho que começar acelerado, posso colocar um ritmo mais forte do que ele mesmo com um camp curto”, explicou DC.

Cormier pensa em se aposentar em março de 2019, quando completa 40 anos. No entanto, o campeão reconheceu que pode estender seu período no UFC por mais um luta. Os possíveis adversários são: Lesnar e seu algoz, Jon Jones.

“Eu talvez possa prolongar, mas agora, acho que tenho essa e mais uma. Posso lutar em março e acertar minha aposentadoria. O adversário que me interessa mais é Jon Jones, porque ele me venceu duas vezes. Financeiramente, Brock Lesnar significaria mais”, disse Daniel.

Em nove anos no MMA profissional, Cormier foi campeão do Strikeforce e atualmente é detentor dos cinturões dos meio-pesados e pesados. Ele tem um cartel de 22 confrontos, sendo 20 triunfos e um revés e uma luta sem resultado. Em sua carreira, 10 vezes o norte-americano terminou o duelo com vitória por nocaute.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário