Dos Anjos minimiza provocações de Usman: ‘Ele vai querer falar besteira’

Antes de duelo contra Usman, Dos Anjos mostra confiança para surpreender o nigeriano no TUF 28 Finale

Dos Anjos vai enfrentar Usman dia 30 de novembro (Foto:Reprodução/FacebookUFC)

Rafael dos Anjos tem um estilo reservado, de poucas palavras e avesso ao trash talk. No entanto, o ex-campeão dos leves vem se acostumando a ser constantemente provocado por seus adversários, como foi em sua derrota recente diante de Colby Covigton. Se preparando para voltar a lutar no TUF 28 Finale, dia 30 de novembro, em Las Vegas (EUA), quando enfrentará Kamaru Usman pela divisão dos meio-médios, o brasileiro admite que terá que lidar, mais uma vez, com o falatório do oponente, mas ressalta que isso não o incomoda em nada.

Veja Também

Gleison Tibau enfrenta Efrain Escudero no card de Ortiz x Liddell 3
Pôster do UFC Adelaide é divulgado com Cigano e Shogun em destaque

“Esse é o estilo dele, vai querer falar besteira. Essa nova geração, essa galera que está vindo agora, tende a fazer isso. Vou manter a minha postura ali e deixar para fazer na hora da luta”, disse Rafael, em entrevista ao site do Combate.

E não é apenas o estilo provocador do adversário que se repetirá no próximo desafio de Dos Anjos. Assim como Covignton, Usman também tem o wrestling como carro-chefe, estilo de jogo que costuma dificultar a vida do brasileiro. Embora reconheça o retrospecto ruim contra atletas da modalidade, Rafael garante estar pronto para surpreender o nigeriano.

“No meu histórico no UFC eu tive alguns problemas lutando contra wrestlers, fazendo o anti-jogo, me agarrando, ficando ali, porque um cara que troca mais fica mais fácil para mim. Eu acho que o Usman é um cara que, além de ter um wrestling muito bom, ele troca legal e confia na trocação – o que eu acho que pode ser um ponto favorável pra mim. E, também, não posso esquecer de onde eu vim, das minhas raízes, que é o jiu-jítsu. Eu tenho que ficar mais confortável, lembrar, pegar hábitos assim que às vezes a gente esquece, de lutar no chão, eu sei lutar com as minhas costas no chão também se eu precisar, se eu cair, e estar com as finalizações afiadas… Acho que também a confiança, que é quase uma soberba dele, pode ser um ponto negativo para ele nessa”, declarou o lutador, que completou afirmando que a soberba de Kamaru pode ser um ponto negativo do rival.

“Quando o cara está com a confiança muito inabalada, que o cara está com uma certa soberba, quando alguma coisa dá errada na luta, aquilo já quebra na hora, entendeu? O cara que está com esse tipo de mentalidade, ele luta bem quando a luta está dando tudo certinho. Acontece alguma coisa errada ele já desespera. Eu sei que eu sou um cara que ele acha que eu sou pequeno pra categoria, que eu sou fraco, que isso e aquilo, que estou fugindo dele. Mas na hora que botar trancado ali a gente vai brigar, e é uma luta de cinco rounds, eu tenho confiança no meu jogo, sei que vou lá e vou lutar com ele. É um cara duro, mas se me subestimar vai dar ruim”.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário