Antes do Brave 17, Cavalheiro exalta treinos nos EUA e avisa: ‘Estou indo em busca do título’

Protagonista do Brave 17, brasileiro de 35 anos almeja conquistar o cinturão meio-médio da organização

Cavalheiro vai estar em ação neste sábado (27) (Foto:Facebook/BraveCF)

Vindo de duas vitórias avassaladoras no Brave, o brasileiro Rodrigo Cavalheiro foi premiado com um lugar na luta principal da 17ª edição do evento, que está marcado para este sábado (27), no Paquistão. Para o duelo contra o invicto Abdoul Abdouraguimov, Cavalheiro “se internou” na American Top Team, aproveitando o intercâmbio com a Noguchi Team, sua equipe, e prometeu que vai se tornar campeão meio-médio da organização nas próximas lutas.

Veja Também

Lucas Mineiro, Felipe Efrain e Marcel Adur disputam cinturões do Brave CF
Com cinco brasileiros, card completo do Brave 18 é divulgado

Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, o veterano lutador de 35 anos falou ainda sobre o atual campeão de sua categoria, o jordaniano Jarrah Al-Selawe, além de elogiar a nova casa.

“Eu acho que o Brave está mostrando para o mundo que é um evento grande, que veio para ficar. Está em franca ascensão. Logo vai estar entre os top-3, estão colocando os grandes atletas para se enfrentar, o card está show, ótimo trabalho dos matchmakers”, analisou.

Confira a entrevista na íntegra:

SUPER LUTAS: Como foram os treinos na American Top Team para este combate?

RODRIGO CAVALHEIRO: Já estive aqui antes na ATT, mas estava um tempo afastado. Lá eu treino com os melhores do mundo e no Brave 17 eu vou mostrar o quanto eu estou bem treinado. Treinei com os melhores, com todo mundo, na verdade. Tive um grande suporte de todos. Treinei com russo, americano, com os campeões da academia, muitos atletas de nome. Fica difícil até citar, não tive um principal parceiro de treino, mas treinei com os lutadores que estão no topo.

SL: Quem ficou responsável pelo seu camp?

RC: O Katel Kubis foi fundamental, veio da Noguchi Team, como eu. Vai ser o meu córner na luta e ele comandou meus treinos. Parrumpinha me auxiliou na parte de chão, e Steve Mocco e Mike Brown no wrestling e também tive a ajuda do Conan Silveira. Estou muito bem preparado, o Luciano Macarrão também me ajudou demais. Tive um camp muito longo e muito bom. Me sentindo muito preparado. Estou chegando no Paquistão para dar um show.

SL: Qual a expectativa para o duelo com o Abdoul?

RC: Se Deus quiser, e Ele quer, vou sair com mais uma vitória. Vai ser mais um nocaute avassalador. Depois dessa luta, vou para conquistar o título.

SL: Qual a análise do seu oponente e expectativa para a luta?

RC: Ele realmente é um grappler muito bom, mas não tem tanta experiência no MMA. São nove lutas, eu acho. Eu já tenho mais de 30. Vou explorar essa diferença de experiência. Sei também que ele nunca enfrentou um lutador do meu nível. Vem mais uma vitória por aí, tenho certeza.

SL: O que achou da última luta pelo cinturão da sua categoria, entre Carlston Harris e Jarrah Al-Selawe?

RC: Eu sabia que o Carlston não seguraria o título, analisando o histórico de luta dele. Ele não tinha bagagem para segurar o título. Se não fosse o Jarrah, ele lutaria comigo e perderia o título do mesmo jeito. O novo campeão é muito bom em pé e no chão, bom de quedas, completo. Por isso eu vejo que ele merece estar com o título. O Carlston é um lutador frio, que busca sempre o jogo agarrado, não é eficiente em outra coisa.

SL: Como você acha que seu jogo casa com o do Jarrah?

RC: Eu acho que estou em um nível acima dele. Estou pronto para bater de frente com qualquer um que tenha o título do Brave. Me vejo como um dos melhores do mundo na categoria. Estou pronto para mostrar que posso lutar pelo título. Ele é um atleta de alto nível e merece ser campeão. Logo, eu vou estar frente a frente com ele.

SL: Como você avalia o card do Brave 17?

RC: Eu acho que o Brave está mostrando para o mundo que é um evento grande, que veio para ficar. Está em franca ascensão. Logo vai estar entre os top-3, estão colocando os grandes atletas para se enfrentar, o card está show, ótimo trabalho dos matchmakers. Tenho certeza que os atletas vão dar o melhor no dia da luta. Quero ver todas as lutas, estou ansioso para o dia 27.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments