Holly Holm projeta confronto com Amanda Nunes pelo título dos galos

Às vésperas da luta com Aspen Ladd no UFC 235, a ex-campeã da divisão até 61 kg admite que tem planos de no futuro poder disputar novamente o cinturão da categoria

H. Holm vem de vitória no UFC 225. Foto: Reprodução/Facebook Holly Holm

Holly Holm foi escalada para enfrentar Aspen Ladd no UFC 235, dia 2 de março em Las Vegas (EUA). Mesmo com a diferença de 14 anos entre as atletas, a ex-campeã dos galos não vai subestimar a jovem rival. Visto que ‘Preacher’s Daughter’ precisa de vitória para poder retornar ao topo da divisão. Em entrevista ao site norte-americano MMA Junkie, a lutadora admitiu que tem planos de disputar o título da categoria até 61kg contra Amanda Nunes no futuro.

Veja Também

Elizeu Capoeira enfrenta Curtis Millender no UFC Wichita
Jennifer Maia recebe seis meses de suspensão da USADA por uso de suplemento contaminado

“Vou enfrentar Aspen Ladd e veremos depois o que vai acontecer. Há objetivos de curto e de longo prazo. Eu adoraria poder enfrentar Amanda Nunes. Essa é uma das possibilidades a longo prazo. Mas, no momento, meu foco é 100% em Aspen Ladd”, explicou Holm.

Antes de dar a chance de Holm disputar o cinturão dos galos, o Ultimate pode confirmar uma revanche entre Cyborg e Amanda. Questionada sobre o confronto entre as brasileiras, Holly acredita que Cris merece um novo duelo, pois foi uma lutadora dominante por tanto tempo e que acabou sendo nocauteada.

“Acho que ela merece a chance de lutar de novo, e não acho que ela precise que as pessoas digam isso. Revanches após nocautes têm que partir dos próprios lutadores. Se Cyborg disser: ‘Eu quero a revanche!’, acho que deveria honrar esse pedido e conceder a revanche”, disse Holly.

Focada no confronto com Ladd, Holm afirma que não poder menosprezar as qualidades da adversária, pois correr o risco de ser derrotada por não ter dado a atenção devida. Por isso, garante que vai dar o melhor de si dentro do octógono em Las Vegas.

“Aspen é jovem e não está invicta por acaso. Ela é dura e acredita em si mesma. Ela chegou e fez algumas lutas no UFC e, mesmo sendo nova, suportou a pressão muito bem. A pressão não a afeta. Ela está em ascensão, e não teve adversárias fracas pela frente. O problema é que ela ainda não lutou comigo. Será uma luta diferente das que ela já teve. Estou consciente das suas qualidades e também que ela é uma lutadora perigosa. Não vou subestimá-la de forma alguma”, concluiu ‘Preacher’s Daughter’.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário