Entrevista na integra Paulão Filho

Paulão Filho fala em entrevista ao site Tatame sobre sua luta no wec dia 12 de dezembro e comenta como recebeu o conivte para treinar o ex-campeão light heavyweight do UFC Chuck Liddell. confira:

Quem vai te acompanhar no WEC ? Com quem treinou ?

O (Josuel) Distak e o Amaury Bitetti vão comigo. Fiz um trabalho com o Thiagão Medeiros, que é meu aluno, com o Distak, que não pode faltar, com o Rafael Manteiga, com o Amaury Bitetti, com o Arona que esteve aqui ontem com o Minotauro para me ajudar, com esse pessoal.

O que acha do Chael Sonnen ?

Ele é um cara duro, com back ground de Wrestling, bom de queda, derruba muito bem. Vou ter que tomar cuidado para não ser derrubado, mas se por ventura eu cair por baixo terei algumas surpresas para ele. Não terei os problemas que tive na minha outra luta. Desta vez não estou mais tomando remédios para dormir e vou estar forte e alimentado. Vamos ver no que vai dar.

Como está o seupeso ?

No momento estou com 93kg, porque prefiro deixar para tirar nos últimos momentos, pois não quero treinar fraco. Quero treinar forte e com esse peso não prejudico o meu treinamento.

Você fechou com a Team Link ? Vai se mudar para os Estados Unidos ?

Fechei com Team Link sim. Eles têm uma infra-estrutura fantástica, tem o Gabriel Napão que é excelente e irei representar eles aqui. Tenho o interesse de morar na América, mas por enquanto vou ficar aqui.

O que você ganha com essa mudança ?

Fui muito bem recebido lá. Fiz diversos seminários e acredito que o esporte tem muito a crescer lá. Eles têm uma infra-estrutura muito boa lá, têm o Napão que ganhou peso, está mais forte e é ótimo lutador. Acho que eu ganho e eles também, com o meu nome e o meu conhecimento.

O Thiago Silva é atleta do Jorge Patino Macaco e da Chute Boxe e também está na Team Link. Você terá algum problema em treinar com ele?

Não tenho nada contra o Thiago Silva, ele é excelente e só tenho a parabenizá-lo. Ele só enfrentou pedreira, mas acho que os grandes lutadores são simples, como o Fedor, eu, o Shogun. Esse comportamento dele, não precisa ficar fazendo caras e bocas, mas acho que ele ainda vai amadurecer. Ele vai aprender que os campeões também perdem. Acho que ele tem total condição de ser o campeão dessa categoria. Ele está de parabéns.

Como será a luta do Napão contra o Fabrício Werdum ?

Eu fui o árbitro da primeira luta e o Napão foi melhor no início, mas acho que ele estava mal preparado fisicamente e o Werdum acabou virando. Fui muito criticado na época porque o pau comeu na luta e eu não interrompi. Mas os dois são faixas pretas e não senti que queriam parar, então como vou meter a mão na luta? Acho que vai ser uma guerra. O Napão é excelente e o Werdum também. Prefiro não dar palpite e espero um grande espetáculo.

O que acha da defesa de cinturão do Anderson Silva contra o Dan Henderson?

Confio 100% no Anderson. Acho que ele tem que treinar mais o clinche porque o Henderson é wrestler, mas acredito que ele não trará problemas para o Anderson. O Anderson é mais comprido e nesse peso ele está “undefeatable”.

Você recebeu proposta para treinar o Chuck Liddell. Aceitou a proposta ?

Realmente a proposta foi feita, mas não aceitei. Nunca treinaria com um americano para lutar com um brasileiro. Não sou puta, prostituta. Somos nós contra os gringos. Fui para lá agora e vi que atleta na América tem tudo o que precisa, é bem tratado e aqui no Brasil é o contrário. Então por que vou treinar com os gringos ? Sou brasileiro até morrer.

Como será essa luta dele contra o Liddell ?

Um conselho para o Wanderlei é que luta não é briga. Se ele for para a trocação franca com o Liddell vai cair. Ele tem que lutar Vale-Tudo e não Muay Thai. Ele tem que colocar para baixo e castigar o Liddell. Esse é o caminho das pedras. Torço por ele. Ele é um cara batalhador, já foi balconista de bar, é brasileiro e é destruição dos americanos.

Uma nova organização, o M-1, está fazendo eventos no Japão com todos os staffs do Pride. O que acha disso ? Tem vontade de voltar a lutar no Japão ?

Primeiro tenho que fazer minha vida na América. Vou ter que provar novamente agora que tenho condições de ser campeão. Vou ter que matar outro leão. Depois que meu contrato acabar, vou estudar as propostas e escolherei a melhor. Gostaria de voltar ao Japão porque estou adaptado ao clima de lá. Sou um lutador de BJJ, que é um estilo que não agrada muito os americanos, que preferem trocação, mas espero que os americanos passem a admirar o meu também. Já no Japão, eles preferem este outro estilo.

Deixe seu comentário