Amanda promete ‘acabar’ com Shevchenko: ‘O mais rápido possível’

Brasileira ainda garantiu que não sente pressão extra por ser a grande estrela do UFC 213

A. Nunes garantiu que manterá o título (Foto: Reprodução/Facebook/Amanda Nunes Leoa)

A. Nunes garantiu que manterá o título (Foto: Reprodução/Facebook/Amanda Nunes Leoa)

A brasileira Amanda Nunes está há alguns dias de fazer sua segunda defesa de cinturão, que ocorrerá no UFC 213 do dia 8 de julho. E a adversária é uma antiga conhecida. Valentina Shevchenko foi derrotada pela Leoa por decisão unânime no início do ano passado. Mas a atual campeã peso galo promete que, desta vez, não deixará o duelo com a quirguistanesa ir para os juízes laterais.

Veja Também

Evinger (foto) pega Cyborg (Foto: Reprodução/Facebook/Invicta Fighting Championships)
Evinger dispara: ‘Serei o maior desafio da carreira de Cyborg’
Waterson pousou nua para revista americana (Foto: Reprodução/Youtube)
Vídeo: Lutadora do UFC posa nua para revista americana
E. Barboza (esq) quer Aldo (Foto: Reprodução/Facebook/UFC)
Barboza revela interesse em descer aos penas para enfrentar Aldo

Em coletiva telefônica aberta a jornalistas credenciados, Amanda declarou que pretende “acabar” com Shevchenko por nocaute ou finalização o mais rápido possível e garante que irá capitalizar em cima dos erros que a rival cometer.

“Eu vou acabar com ela. Vou fazer de tudo para garantir que a luta não vá para a decisão dos juízes desta vez. Vou capitalizar em cima de qualquer errinho que ela me mostrar no combate e vou nocautear ou finalizar o mais rápido possível”, declarou uma confiante Amanda Nunes.

A brasileira ainda foi curta ao falar do primeiro duelo entre as duas, onde ela sofreu com a falta de gás no terceiro round após dominar os dois primeiros assaltos. Para Amanda, não há mais o que falar sobre aquele combate, exceto que ela saiu vitoriosa. A brasileira também declarou não sentir pressão extra por ser a principal estrela de um grande evento como o UFC 213.

“Eu a venci. Não há mais o que falar sobre aquela luta (…) Não vejo pressão extra, me acostumei com isso no UFC 200 e no UFC 207. O primeiro evento foi muito grande para mim, porque as coisas mudaram rápido, e depois o UFC 207 me deu a oportunidade de me acostumar com grandes cards e eventos”, encerrou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário