Adversário de Anderson Silva no UFC 237 diz não temer público brasileiro

Jared Cannonier confessa já ter passado por situações piores em comparação à torcida para ‘Spider’ neste sábado

J. Cannonier (foto) diz não temer pressão brasileira em duelo contra A. Silva. Foto: Reprodução/Facebook thekillagorilla

O norte-americano Jared Cannonier confessou que a torcida para Anderson Silva no UFC 237 não influenciará no seu desempenho no próximo sábado. Em entrevista recente ao ‘Combate’ o lutador afirmou que a preferência do público faz parte do jogo. Os atletas travarão duelo na luta co-princial do evento, que acontece no Rio de Janeiro.

“Já ouvi coisas piores na minha vida. Pessoas já me chamaram de coisas piores do que ‘vai morrer’. Já disseram coisas piores para mim. Eu entendo, é parte do jogo. Eu não jogo o jogo, eu luto. Quem quiser jogar o jogo dos fãs, problema deles. Os fãs são completamente irrelevantes para mim”, afirmou o lutador.

A torcida brasileira é muito conhecida, não só no mundo do MMA, por apresentar uma maneira diferente e fanática de tratar os atletas que competem pelo seu país. Nas artes marciais mistas, o grito de ‘uh, vai morrer’ se tornou um bordão conhecido por lutadores de diferentes nacionalidades.

Apesar de não se importar com o público, Cannonier demonstrou total respeito com Anderson Silva. O lutador, de 44 anos é considerado uma lenda do esporte e, mesmo não estando no auge de sua carreira, é alvo de preocupação do norte-americano.

Veja Também

Anderson Silva elogia José Aldo: ‘É muito melhor que eu’
Viviane Araujo é convocada às pressas e enfrenta Talita Bernardo no UFC 237
Ex-UFC Felipe Silva assina acordo com o Brave CF

“Tenho o maior respeito por ele (Anderson). Eu o amo. Como lutador, sou um enorme fã. Assisto suas lutas desde que comecei a me interessar pelo esporte. Gosto da forma como ele se porta fora das lutas. Isso, para mim, é ainda mais admirável”, comentou o norte-americano.

A admiração de Jared por Silva, no entanto, ultrapassa os limites do octógono. Para o atleta, Anderson é um exemplo, também fora das lutas.

“Anderson parece ser um bom homem. Tem filhos, família. Não ouvi nada dele, como de outros caras. Tenho o maior respeito e é ma honra dividir o octógono com ele. Mal posso esperar para conhecê-lo, olhar nos olhos, ir para o cage e lutar com ele.

O lutador também disse não temer o estilo de luta colocado por Anderson em seus duelos. Em relação à estratégia, Cannonier compara o brasileiro a Mike Tyson e relata estar preparado para o que enfrentará no octógono.

“Nunca o vi tentando entrar na mente de seus oponentes. Eles (adversários) que deixam Anderson entrar nas suas cabeças. É como Mike Tyson, que vencia seus adversários antes mesmo de entrar no ringue,” finalizou o atleta.

Após o UFC 237, Jared, de 35 anos, terá realizado sua 14 luta na carreira. No MMA, o atleta possui 13 lutas, com 10 vitórias e apenas três derrotas. O norte-americano estreou no UFC em 2015 e, desde então, realizou oito lutas, somando quatro vitórias e quatro derrotas.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário