Daniel Cormier diz compreender decisão de Brock Lesnar em não retornar ao MMA

Campeão dos pesados fala com serenidade ao tratar rejeição de astro do WWE por luta pelo cinturão do UFC

D. Cormier (foto) fala sobre rejeição de B. Lesnar. Foto: Reprodução/Facebook @ danielcormiermma

Desde quando conquistou o título na categoria dos pesados (até 120,2kg.), em julho de 2018, Daniel Cormier tornou público um desejo: enfrentar Brock Lesnar. Após meses de negociações, a estrela do WWE rejeitou todas as propostas e frustrou a expectativa dos fãs de MMA que gostariam de assistir ao duelo. O fato, no entanto, não parece ter abalado ‘DC’. Em entrevista recente à ‘ESPN’, Daniel disse compreender a decisão do atleta, que foi campeão do Ultimate entre os anos de 2008 e 2010.

Veja Também

Alexander Gustafsson e Anthony Smith batem peso e garantem luta principal deste sábado
Jéssica Bate-Estaca sofre assalto a mão armada e tem carro roubado em Niterói
Após hospitalizar Sage Northcutt, Cosmo Alexandre pede luta contra Vitor Belfort

“Tenho certeza que Brock não queria retornar sob os termos do UFC, nas questões financeiras. Existem muitas incertezas no mundo do MMA neste momento, em relação a pay-per-view. Não é como na época em que ele lutava”, afirmou Daniel.

Cormier ainda concordou com a decisão do compatriota. Brock, que é uma estrela consolidada do WWE, esporte que rende bastante audiência nos Estados Unidos, e possui uma carreira bastante estável neste ramo do entretenimento. Para Daniel, as propostas financeiras do UFC podem não ter seduzido o atleta a ponto de fazê-lo trocar de ramo e adentrar em uma sessão de treinamento rigorosa por um valor que não valesse a pena.

“Eu acho que quando Brock olhou para o horizonte do MMA, o que eles ofereceram para ele, ele disse: ‘Eu posso fazer este tipo de dinheiro no WWE’. Ele não precisa trabalhar tanto. Ele não teria que se esforçar tanto para me enfrentar. E provavelmente ele seria derrotado”, disse ‘DC’.

Para Cormier, Lesnar não seria nem um pouco favorecido no MMA. No WWE, a história muda, pois ele é um dos principais nomes.

“No WWE, as coisas são decididas a seu favor. Como homem de negócios, eu acho que Brock tomou a decisão correta”, finalizou o campeão.

Após a rejeição de Lesnar, a diretoria do Ultimate teve de correr contra o tempo para manter o detentor do título dos pesados ativos durante o ano de 2019. Os promotores, então, confirmaram que o Stipe Miocic, ex-detentor do cinturão, receberia sua chance de revanche contra Daniel. O duelo foi marcado com a luta principal do UFC 241, no dia 17 de agosto.

Esta será a primeira vez que Cormier volta ao octógono desde que defendeu seu título pela primeira vez, contra Derrick Lewis, em novembro. Seu adversário, no entanto, não atua desde a derrota para ‘DC’, em julho de 2018.

Aos 40 anos, Daniel, que tem um cartel invejável de 24 lutas, 22 vitórias, uma derrota e um duelo sem resultado, já relatou por diversas vezes seu desejo de se aposentar em breve. Este pode ser, portanto, o último ano do lutador como atleta de MMA profissional.

Miocic, por sua vez, possui um cartel de 21 lutas, 18 vitórias e três derrotas. O peso-pesado foi campeão do Ultimate no ano de 2016, quando derrotou o brasileiro Fabrício Werdum por nocaute no UFC 198, em Curitiba. Após a conquista, o atleta defendeu seu cinturão em três oportunidades, até perdê-lo para Cormier.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário