Treinador de Conor McGregor afirma: ‘Ele está faminto de novo’

John Kavanagh reconhece preocupação com pupilo após mau momento na carreira, mas garante que atleta está de volta à boa forma

Treinador de C. McGregor afirma que atleta está faminto Foto: Reprodução/Instagram @thenotoriousmma

Um dos treinadores de Conor McGregor, John Kavanagh afirmou que o ex-campeão dos penas (até 65,7kg.) e leves (até 70,3kg.) está realmente de volta. Em entrevista recente ao ‘Ariel Helwani’s MMA Show’, da ‘ESPN’, John admitiu que atleta se perdeu em meio à vida de celebridade e encontrou dificuldades em se motivar para continuar no MMA e se manter focado. Nos últimos três anos, Conor atuou pelo UFC em apenas quatro oportunidades.

Veja Também

Derrotada em 2010, Valentina Shevchenko pede revanche contra Liz Camouche
Tyron Woodley elogia Henry Cejudo como lutador, mas alfineta: ‘Está irritando todo mundo’
Vídeo: ‘Rondinha de BH’ estreia no MMA profissional com nocaute impressionante

“Ele (McGregor) provavelmente disse na entrevista do Tony Robbins (palestrante norte-americano), onde falou sobre perder isso (a vontade de lutar) por um pouco. E este é um jogo em que ele é completo, é sempre de contato. É perigoso”, disse John. “Quando ele ganhou o segundo cinto ao vencer o Eddie (Alvarez), ele tinha conseguido tudo o que queria alcançar. Ele era muito rico, era campeão do mundo. Então você tem que parar um tempo e pensar: ‘bem, o que vai te motivar a fazer isso?’, questionou o treinador.

Recentemente, houve uma polêmica envolvendo Kavanagh e McGregor. Na ocasião, Conor havia manifestado o desejo de voltar a adentrar ao octógono, mas o treinador afirmou que não treinaria o atleta a menos que houvesse uma boa justificativa. John, então tratou de explicar a situação e endossar o que quis dizer.

“Acho que o que eu estava mesmo a tentar dizer era que queria mesmo vê-lo motivado. “Ele mesmo disse que isso (a motivação) se tornou um problema”, declarou Kavanagh. “Acho que ele vai voltar pelo amor pelo esporte. Ele ama fazer isso. Ama treinar e competir. Ainda tem o legado de ser lembrado como um dos melhores. Era isso que eu queria ver, porque, além de ser meu aluno, ele é como um irmão mais jovem. Você não iria querer vê-lo fazendo algo que iria machucá-lo apenas por fazer”, finalizou John.

Desde que se tornou mundialmente conhecido como atleta de MMA e traçou novas formas de promoções de luta, Conor ganhou prestígio com o UFC e possui algumas regalias dentro da companhia. Com isso, o lutador, no momento, aguarda por um nome de peso para oficializar seu retorno ao Ultimate após quase um ano afastado.

Atualmente, Conor está com 30 anos e soma em seu cartel 25 lutas, 21 vitórias e quatro derrotas. Seu último combate aconteceu em outubro do ano passado, quando o irlandês foi dominado por Khabib Nurmagomedov e derrotado por finalização em duelo válido pelo cinturão dos leves.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário