Rival de Royce Gracie no UFC 2 morre de câncer aos 55 anos

Patrick Smith, atleta que realizou a final da segunda edição do Ultimate contra brasileiro, faleceu em decorrência de condição rara da doença

P. Smith (dir.) morre em decorrência de câncer na bexiga. Foto: Reprodução/YouTube Zodiac Films

Um dos primeiros atletas a adentrarem ao octógono na história do UFC, Patrick Smith, faleceu nesta terça-feira (18), aos 55 anos, em decorrência de um câncer raro na bexiga. O atleta disputou três edições do Ultimate. A informação foi divulgada pelo site ‘Middle Easy’. O lutador também era conhecido por sua carreira no kickboxing.

Veja Também

Cejudo passa por cirurgia no ombro e só deve voltar a lutar em 2020
Whittaker enfrenta Adesanya pela unificação do título dos médios em outubro, diz site
Dana revela que não há mágoas por aposentadoria de Brock Lesnar

Smith desenvolveu um carcinoma sarcomatóide na bexiga (um tipo de condição que se desenvolve na célula de um órgão), além de também sofrer com outro carcinoma urotelial (tecido que recobre parte do canal urinário). Nas últimas semanas, a família do ex-lutador realizou uma campanha online para financiar o funeral de Patrick antes mesmo que o falecimento do atleta fosse declarado.

Enquanto atleta do MMA, Smith enfrentou atletas conhecidos no mundo das artes marciais, como Ken Shanrock e Kimo Leopoldo. O norte-americano também pode dividir o ‘campo de batalha’ com grandes nomes do esporte do Brasil como Fábio Gurgel e as lendas: Marco Ruas e Royce Gracie.

O maior momento na carreira de Patrick, no entanto, aconteceu em 1994, na segunda edição do UFC. Smith esteve no grupo dos 16 atletas a participarem do evento e conquistou o direito de dividir o octógono com Royce Gracie, campeão do UFC 1, nas finais após derrotar Ray Wizard, Scott Morris, e Johnny Rhodes nos três primeiros embates do dia. Na última luta, Smith foi finalizado pelo brasileiro após 1m e 17s de combate.

A última vez em que Patrick disputou um embate oficial foi em 2009, aos 46 anos. Na oportunidade, Smith enfrentou o, hoje aposentado, Kevin Jordan e acabou sendo derrotado por decisão unânime dos juízes, representando o evento ‘American Steel Cagefighting 1: Battle of the Legends’, que aconteceu nos Estados Unidos.

Em 1999, Smith teve seu nome envolvido em um escândalo de abuso sexual. Na ocasião, o lutador foi acusado de molestar uma adolescente de 14 anos.

Após 16 anos no MMA, Patrick somou em sua carreira profissional 35 lutas, com 20 vitórias e 15 derrotas. Seus feitos no kickboxing, no entanto, são mais expressivos. Pela modalidade, Smith atuou por 74 vezes, e triunfou por 66.

 

Deixe seu comentário