Após bater Spencer, Cyborg pede revanche contra Amanda para janeiro

Curitibana volta a pedir luta contra compatriota e critica Dana White por, segundo atleta, mentir sobre o motivo da não confirmação do novo confronto

C. Cyborg em coletiva após o UFC 240. Foto: Reprodução/YouTube UFC

A brasileira Cris Cyborg voltou a vencer pelo Ultimate após seu revés para Amanda Nunes, ocorrido em dezembro do ano passado, que lhe rendeu a perda de seu cinturão das penas (até 65,7kg.). Sete meses depois de sua derrota, a curitibana voltou a subir no octógono e enfrentou, neste sábado (27), pelo UFC 240, em Edmonton, a canadense Felicia Spencer, ex-campeã do Invicta FC. Após sua vitória, a lutadora afirmou o desejo de reeditar o combate contra a ‘Leoa’ para janeiro de 2020. A declaração foi feita em coletiva depois do evento.

Veja Também

Vídeo: Assista os melhores momentos de Max Holloway x Frankie Edgar no UFC 240
Duelo brasileiro entre Deiveson e Pantoja é eleito ‘Luta da Noite’ no UFC 240
Vídeo: Assista os melhores momentos da luta entre Deiveson Figueiredo x Alexandre Pantoja no UFC 240

“Eu quero a revanche para janeiro de 2020. Quero apenas mostrar para as pessoas que eu pedi a revanche imediata logo após eu ser derrotada em dezembro. Eu não estou mentindo em relação a isso. É verdade. Eles me disseram que eu teria que esperar pela luta entre Amanda e Holly (ocorrida no início de julho)”, declarou a atleta.

Cyborg também fez questão de fazer duras críticas ao presidente do UFC, Dana White. Segundo a curitibana, ainda há muitas pendências a serem resolvidas antes de conversarem sobre a formulação de um novo contrato, haja vista que o combate contra Felicia representou o último de Cris em seu compromisso atual com a organização.

“Tem muita coisa acontecendo agora. Tem muitas situações entre mim e o UFC. Não quero ficar reclamando, mas a questão não é apenas a luta em si. As pessoas não têm noção do que acontece nos bastidores da luta. Todos sabem que eu não tenho a melhor relação do mundo com o Ultimate e Dana White. Ele praticou bullying comigo por todo lado e eu sofro com isso aonde quer que eu vá. Eu tenho uma filha, tenho pai e ele nunca me pediu desculpas por nada do que fez”, criticou a brasileira.

A lutadora, então, foi questionada por um repórter sobre a possibilidade de uma renovação de contrato afirmando que nem todos os funcionários têm uma boa relação com o chefe. Sobre o assunto, Cyborg, no entanto, foi categórica ao responder.

“Nós não precisamos amar nossos chefes, mas é necessário que haja um mínimo de respeito entre as partes”, disparou Cyborg.

Há alguns anos, White fez provocações duras sobre Cris, a quem acusou de possuir um pênis, além de ser comparada fisicamente com o ex-campeão do Pride, Wanderlei Silva.

O triunfo contra Spencer marcou a 21ª vitória da carreira da brasileira. A conquista sobre a canadense também marcou a quebra da invencibilidade da oponente, que estava invicta em sua carreira.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments