De volta, Diaz explica motivo de optar por enfrentar Pettis: ‘Ele é melhor do que Khabib e Usman’

Polêmico, norte-americano afirma que Anthony é um desafio maior do que campeões dos leves e meio-médios; atleta também elogiou Masvidal

N. Diaz (foto) em luta pelo UFC. Foto: Reprodução/Facebook @NateDiaz

Uma das lutas mais aguardadas deste sábado (17), pelo UFC 241, será o encontro entre Nate Diaz e Anthony Pettis, no embate co-principal da noite. O duelo representará o retorno de Diaz ao octógono três anos após seu último compromisso pela organização. Em entrevista à ESPN, o atleta afirmou que preferiu o combate contra Pettis por considerar o compatriota um melhor adversário do que Khabib Nurmagomedov (campeão dos leves) e Kamaru Usman (dono do título dos meio-médios).

Veja Também

Quarta no ranking das moscas, Jennifer Maia enfrenta Katlyn Chookagian em novembro
Vindo de derrota, Minotouro enfrenta Trevor Smith no UFC São Paulo, em novembro, diz site
Borrachinha faz previsão para duelo contra Romero: ‘Vou nocauteá-lo no primeiro round’

“Eu sinto apenas que sou melhor do que aqueles caras (Khabib e Usman). Por que eu iria enfrentá-los? (Anthony) Pettis é um atleta melhor”, disse Nate.

Diaz, que é conhecido por sua personalidade forte e declarações ácidas, em um momento de rara humildade, elogiou, também, o meio-médio (até 77kg.), Jorge Masvidal, que recentemente aplicou sobre Ben Akren o nocaute mais rápido da história do Ultimate (5 segundos). Para o norte-americano, observar atletas vencendo daquela maneira o motiva a lutar com mais frequência.

“Masvidal fez o trabalho dele outro dia. Aquilo foi incrível. Esse tipo de coisa, com todo respeito, te motiva a enfrentar essa pessoa, porque eles tiveram um grande feito. Considero que ele fez algo impressionante”, elogiou o norte-americano.

Há quem ame e odeie Nate. No entanto, a capacidade do atleta de promover seus combates o colocaram em um patamar em que ele pode escolher um oponente dentro do grupo de atletas do UFC, que será, ao menos, ouvido sobre sua intenção pela diretoria. Mesmo sem atuar há três anos, o lutador teve seu contrato mantido com a organização e, segundo o atleta, continuou recebendo seus pagamentos normalmente, o que ajudou a permanecer inativo por tanto tempo.

Neste final de semana, o norte-americano será responsável por protagonizar a luta co-principal do evento que trata como grande atração a revanche entre Stipe Miocic e Daniel Cormier pelo título dos pesados (até 120,2kg.). Anthony, rival de Diaz para o UFC 241, passou por um momento de instabilidade dentro da empresa, mas conseguiu voltar aos holofotes após bater o ex-desafiante meio-pesado Stephen Thompson, em março deste ano, em um nocaute que impressionou os entusiastas do MMA.

Aos 34 anos, Diaz já atuou profissionalmente em 30 oportunidades, vencendo 19 e perdendo 11. Seu último duelo foi marcado por sua derrota para o irlandês Conor McGregor, em 2016.

Pettis, ex-campeão dos leves, fará sua 29ª luta. O norte-americano soma 21 triunfos e sete reveses.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário