Tim Elliot mostra confiança para bater Deiveson no UFC Tampa: ‘É lento, não consegue me tocar’

Sem lutar há quase dois anos, norte-americano retorna neste sábado e tenta bater paraense, que sonha com título interino

T. Elliot (esq.) em entrevista a J. Rogan (dir.). Foto: Reprodução/Instagram @awkward_mma

O norte-americano Tim Elliot fará seu retorno ao octógono neste sábado (12), no UFC Tampa, nos Estados Unidos, após quase dois anos de inatividade. O atleta vai enfrentar o brasileiro Deiveson Figueiredo, terceiro no ranking dos moscas (até 56,7kg.) e que vive ótima fase na carreira. Mesmo sabendo das qualidades do paraense, Elliot mostra confiança na vitória. O atleta falou sobre a luta em entrevista ao ‘Sherdog.com’.

Veja Também

Jimi Manuwa afirma que Johnny Walker pode vencer Jones: ‘Se conseguir defender quedas, ganha’
Com luta neste sábado, Deiveson pede luta por cinturão interino dos moscas em caso de vitória
Werdum mostra ansiedade para retornar ao MMA em 2020: ‘Vou chocar o mundo novamente’

“Esta é uma luta que eu persegui. Assim que (Deiveson) lutou contra Pantoja (em julho), eu mandei uma mensagem para o meu empresário. Essa é a primeira vez no UFC que eu tenho uma luta que pedi. Certamente será uma luta muito boa”, declarou o norte-americano.

Tim garante que sua equipe o preparou muito para enfrentar o paraense. Segundo o lutador, a estratégia traçada será fundamental para conquistar o triunfo diante do brasileiro que perdeu apenas uma vez na carreira.

“Sabemos o que temos de fazer. Temos de nos mexer, e a minha estratégia é não ser atingido. Ele é muito lento e não será capaz de me tocar. Tudo o que tenho de fazer para ganhar esta luta é passar do primeiro round. Se eu conseguir arrastar esse cara para águas profundas, ele ficará cansado e lento. Eu sei como lutar, posso fazer três assaltos difíceis e vencer este cara”, afirmou o peso mosca.

Se for pela intenção de Elliot, o combate será terminado por finalização. O norte-americano informou que está afiado no seu jogo de chão e pode encerrar o duelo antes do soar da última buzina.

“Vou arrastá-lo para as águas profundas. Quero mostrar o meu condicionamento, tenho finalizado muitos companheiros em meus treinamentos. Vou ganhar no segundo ou terceiro round”, disparou o lutador.

Atualmente na sexta colocação no ranking da divisão, o norte-americano acredita que um triunfo sobre o brasileiro o colocará imediatamente na condição de desafiar Joseph Benavidez, número um e condicionado a lutar pela cinta que hoje pertence a Henry Cejudo.

“Acredito que uma vitória me coloca logo depois de Joe (Joseph Benavidez). Joe é o cara, ele já venceu Cejudo. Ele é o cara que merece a chance pelo cinturão”, finalizou Tim.

Sem lutar desde 2017, Elliot tem em seu cartel 23 lutas, com 15 vitórias e oito derrotas, enquanto o brasileiro soma 17 confrontos, com 16 triunfos e um revés.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário